Atendimento Psicológico

O atendimento psicológico na Unilab, nos campi do Ceará, ocorre por meio do Plantão Psicológico. Essa forma de atendimento pretende facilitar o acesso ao serviço de psicologia, oferecendo um espaço de pronto acolhimento para o estudante que sinta necessidade de uma escuta psicológica profissional. Poderá ser abordada qualquer questão que provoque sofrimento e/ou incômodo ao estudante, sendo necessário apenas a sua disponibilidade para falar sobre isso.

O atendimento acontece por ordem de chegada, sem que seja necessário um agendamento prévio. Para ser atendido, o estudante deve dirigir-se aos locais de atendimento, nos horários disponíveis, conforme as informações abaixo:

– Unidade Acadêmica de Palmares – Sala 01, Bloco I – Térreo

– Segunda-feira: das 9h às 12h

– Terça-feira: das 9h às 11h

– Terça-feira: das 13h às 15h

– Quinta-feira: das 13h às 15h


– Campus da Liberdade – Bloco administrativo, Sala 01

– Segunda-feira: das 13h às 15h

– Quarta-feira: das 9h às 11h

– Quarta-feira: das 13h às 15h

– Quinta-feira: das 09h às 11h


– Campus dos Malês / Bahia – Sala de Atendimento Psicossocial (1º andar, ao lado da sala da Direção do Campus)

 – Segundas-feiras: das 13h às 15h30min

– Terças-feiras: das 8h às 11h

– Quartas-feiras: das 13h às 15h30min

Agendamento: presencialmente no Setor ou pelo e-mail satepsi.ba@unilab.edu.br


Atribuições do psicólogo
– Atendimentos psicológicos individuais e/ou grupais conforme demanda;

– Realizar Plantão Psicológico;

– Orientar e encaminhar estudantes para serviços de saúde locais e/ou Regionais, especialmente da Rede de Atenção Psicossocial (RAPS);

– Ações de acolhimento do estudante recém-ingresso, considerando os aspectos subjetivos vinculados à inserção na vida universitária;

– Construir espaços para escuta e expressão de sentimentos, sentidos e experiências dos estudantes relativos aos desafios do cotidiano acadêmico e ao processo saúde-doença-cuidado, atentando para suas relações com as práticas culturais;

– Desenvolver atividades de recepção e acolhida do estudante estrangeiro, tendo em vista os desafios sociopsicológicos vinculados aos processos migratórios e as consequentes dificuldades de adaptação e inserção em um novo contexto cultural.

– Atividades de orientação para o estudante estrangeiro sobre o SUS e os serviços de saúde locais, atentando para o seu processo de vinculação simbólica e apropriação psicossocial em relação à nova cidade de moradia.