Relações Internacionais

Grau: Bacharelado
Modalidade: Presencial
Duração mínima: 6 (seis) semestres
Carga horária: 3080 horas
Turno de oferta: Integral
Local de oferta: Campus dos Malês (Avenida Juvenal Eugênio Queiroz, S/N – Baixa Fria – São Francisco do Conde – BA – CEP: 43.900-000)

Perfil do Egresso

O bacharel em Relações Internacionais deve ter uma formação diversificada, que permita sua atuação de forma articulada, crítica e construtiva diante de seus contextos diversos, partindo de uma sólida base de conhecimentos, que fortaleça sua habilidade de comunicação intercultural e a sua capacidade de interação, análise e compreensão dos meios social, econômico, político e cultural. O profissional deve ser capaz de coordenar estudos e projetos de forma organizada e articulada, analisar e propor estratégias e políticas em nível micro e macro, regional e internacional, tendo como base capacidade de decisão e liderança e um conjunto de habilidades e competências específicas. O profissional deve dominar a língua inglesa, indispensável para atuar ao nível internacional. A atuação desse profissional é abrangente, tanto no serviço diplomático, setor público, setor privado, atrelado a uma perspectiva cidadã, construtiva e crítica, e de pensamento estratégico, de análise de cenários e proposição de ações de curto, médio e longo prazo. O aluno adquirirá uma base ampla de conhecimentos nas áreas da Economia, Antropologia, Filosofia, Sociologia, Direito, História, Ciência Política com incidência no universo das Relações Internacionais, que possibilite o entendimento das questões internacionais no seu contexto histórico, socioeconômico, geopolítico, jurídico, cultural, social e institucional; uma visão crítica e competência para adquirir novos conhecimentos; o domínio das habilidades relativas à efetiva comunicação e expressão oral e escrita; proficiência em língua inglesa; a capacidade de análise, avaliação e proposição de cenários para atuação na esfera internacional; e a capacidade de tomada de decisões, gestão de processos e resolução de problemas numa realidade diversificada e em constante transformação a partir de um profundo entendimento das realidades brasileira, africana e internacional.

Ambientes de Atuação

O profissional que o curso pretende formar será habilitado para atuar no serviço diplomático, em organizações nacionais, regionais e internacionais, instituições públicas e privadas, com ou sem fins lucrativos, em trabalhos técnicos, de assessoria ou de pesquisa. Neste sentido, relacionam-se como possíveis áreas de atuação dos formandos em Relações Internacionais:

1) Carreira Diplomática: no país de origem, no caso de estrangeiros, e no Brasil, via ingresso por concurso público do Instituto Rio Branco para o quadro do Ministério das Relações Exteriores;

2) Ensino e Pesquisa, via atuação no setor de ensino público e privado como professor pesquisador na área das Relações Internacionais;

3) Autoridades locais, provinciais e estaduais, por meio de assessoria, consultoria, negociação, planejamento estratégico e capacitação para entes subnacionais como municípios, províncias ou estados federados, visando a sua inserção no cenário mundial, regional e local, por meio da cooperação com o respectivo governo nacional, demais Estados, organizações internacionais governamentais e não governamentais, atores e movimentos diversos da sociedade civil;

4) Organizações Regionais e Internacionais Governamentais, por meio de assessoria, consultoria, desenvolvimento de projetos, negociação, planejamento estratégico, capacitação e atuação como funcionário e/ou voluntário;

5) Setor Diplomático e Civil: assessoria, consultoria, planejamento estratégico, negociação, capacitação para atuação em parlamentos, Câmaras de Comércio, Consulados e Embaixadas e áreas afins;

6) Sociedade Civil: assessoria, consultoria, planejamento estratégico, negociação, capacitação para atuação em Organizações Internacionais Não Governamentais e Movimentos Sociais em geral;

7) Setor Político-Partidário: assessoria, consultoria, planejamento estratégico, negociação, capacitação para partidos políticos, cooperação e interação entre sociedade civil e setor público;

8) Setor Privado: assessoria, consultoria, planejamento estratégico, negociação, capacitação para atuação em empresas privadas das mais diversas áreas de atividades (indústria, comércio, instituições financeiras, setor de serviços);

9) Atividades Diversas do Setor Público e Privado: cooperação técnica internacional, elaboração de acordos e projetos internacionais, análise e prospecção de cenários, planejamento estratégico e análise de conjunturas, prestação de serviços de consultoria, atuação em setores diversos como mídia em suas múltiplas aplicações contemporâneas (virtual, escrita, audiovisual, dentre outras).