Festival das Culturas da Unilab chega à terceira edição com o tema “Arte, Cultura Popular e Resistência”

“Arte, Cultura Popular e Resistência” dão o mote do III Festival das Culturas da Unilab, que ocorre de 23 a 25 de maio, em Redenção/CE e em São Francisco do Conde/BA. O tema foi escolhido em consulta interna à comunidade acadêmica, obtendo 52% dos votos. Os dias de realização do evento agora são considerados não letivos.

Atrações artísticas de várias linguagens (teatro, música, dança e performances), exposições, feiras, mesas-redondas e outras atividades compõem o III Festival das Culturas da Unilab. A programação segue o formato das anteriores, com a participação de grupos contemplados no Edital de Bolsas de Extensão da Pró-Reitoria de Extensão, Arte e Cultura (Proex) e o convite a atrações artísticas do Maciço do Baturité e das instituições de ensino superior do Ceará.

Vozes D’África – Música e Ritmos Tradicionais Africanos | Foto: Ivan Freire/Proex

A abertura do evento ocorre no dia 23, às 17h30, com fala da Reitoria, Proex e um representante discente, no Campus da Liberdade. Ela será antecedida pela manhã por vernissage das exposições “Feminino em Cor”, “Orixás e Resistência”, “Pibid e docência: percursos iniciais, experiências perenes”, que estarão em mostra até o final do festival. Pela tarde, ocorrem atividades diversas e oficinas de audiovisual, artes visuais, literatura, música, dança e moda.

Os fins de tarde e as noites do festival no Ceará têm muita arte, com performances, peça teatral, apresentações musicais e de dança de artistas de Fortaleza e da Região do Maciço de Baturité.

Oficina de tranças. II Festival das Culturas da Unilab. Foto: Assecom/Unilab.

A manhã do dia 24 será marcada pelo Fórum de Extensão, Arte e Cultura, em que participam a Proex, o Grupo de Trabalho de Extensão e o Grupo de Trabalho de Arte e Cultura, iniciativas que agregam universidade e comunidade. O fórum é o momento que em que pessoas da comunidade unilabiana e do Maciço do Baturité e Recôncavo Baiano, interessadas no planejamento das ações de extensão, arte e cultura, possam participar e ajudar a construir um programa de ação plurianual para a universidade.

O último dia de festival terá, além das oficinas e apresentações artísticas, a mesa “Dança, arte e resistência no Ceará”, com participação de representantes do Vila das Artes e curso de Sociologia da Unilab.

A programação em São Francisco do Conde/BA conta com oficinas diversas e mesas-redondas, como “Gestão local: desafios para o fortalecimento da cultura popular” e “Arte e cultura da resistência”, ambas na quarta-feira (23), no auditório, pela manhã e tarde, respectivamente.

Projeto “Festival dos Miúdos – Criançada nas Artes (Ciadi) |Foto: Ivan Freire/Proex

Nos dias seguintes, a programação segue com oficinas e terá, entre outras atrações, as mesas-redondas “Cultura Popular e Educação” e “Apresentação da mostra itinerante For Rainbow e debate sobre dissidência sexual”.

Confira a programação completa no Ceará e Bahia.

Evento consolidado

Ainda mais fortalecido nesta edição, o III Festival das Culturas da Unilab mostra que arte e cultura não são aspectos acessórios na sociedade. “A cultura é tudo o que somos. Na Unilab, existem diferentes substratos culturais em convivência, cuja a expressão artística é uma das formas de expressão dessas culturas. O festival permite que cada membro da nossa comunidade acadêmica e as comunidades externas possam aprender a se relacionar com o diferente, entendendo que somos iguais em aspirações, deveres e direitos. Isso para todos/as nós é fundamental, mas para nossos/as discentes é o diferencial”, destacou o coordenador de Arte e Cultura da Proex, Marcos Coelho.

Sobre a participação discente, o professor comenta que ocorre de diferentes formas. Os monitores, por exemplo, tem a oportunidade de integralizar as horas necessárias no processo de curricularização da extensão, demanda dos Projetos Pedagógicos dos Cursos. “Devem contabilizar mais de uma centena de horas de extensão com o festival, em caráter extra-curricular, além, é claro, da aquisição de experiência”, ressalta.

Mostra PB-Art – Maciço das Artes – Artes | Foto: Ivan Freire/Proex

Outras facetas da inserção discente no evento vêm dos estudantes artistas, que apresentam espetáculos de muita qualidade, e dos estudantes espectadores, que têm a oportunidade de “ampliar sua capacidade de desenvolvimento da sensibilidade estética, aspecto importantíssimo na formação de profissionais com capacidade crítica que possibilite exercer a cidadania plena”, afirmou.

Uma mudança que propicia ainda mais participação da comunidade acadêmica é o fato de que, a partir desta edição, os dias em que o evento é realizado são considerados não letivos, decisão amparada pelo aditivo inserido no calendário acadêmico aprovado na 59ª sessão ordinária do Conselho Universitário.


Contatos:

+55 (85) 3332.1330 / (85) 98892.5881