Hístórico

A história do nordeste brasileiro está mudando, e a da Unilab apenas começando!

A Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) nasce baseada nos princípios de cooperação solidária, com o objetivo de, em parceria com outros países, principalmente os africanos, desenvolver formas de crescimento econômico, político e social entre os estudantes, formando cidadãos capazes de multiplicar o aprendizado.

A Unilab, hoje, é uma realidade! São mais de 500 pessoas envolvidas entre estudantes, técnicos, docentes e colaboradores. Uma oportunidade de aproximar o interior do nordeste brasileiro da educação avançada. Foram mais de 3 mil inscritos no primeiro processo seletivo realizado entre os meses de novembro e dezembro para os estrangeiros, e janeiro, para os brasileiros.

Com uma nova visão sobre os muitos desafios que propõe a Educação Superior no Brasil e no mundo, proporcionará oportunidades de ensino/aprendizagem a todos aqueles que querem aprender, conquistar e atuar em diferentes áreas de estudo.

A Ousadia

Tudo começou com um sonho, aliás, um sonho de realização de um presidente que, apesar de não ter um diploma universitário, vê na educação a única forma de fazer uma revolução para melhorar o país. “Nenhum tema é tão capaz de unir e transformar um país quanto a educação”, ressaltou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, durante aula magna realizada em Maputo-Moçambique.

Determinado, o presidente, em comum acordo com os países parceiros, tornou realidade mais um de seus projetos: a criação de uma universidade no Brasil alinhada à integração com o continente africano, principalmente com os países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

O desafio

Estudada as possibilidades de ajuda mútua entre os países, o presidente solicitou ao ministro da Educação, Fernando Haddad, que, em uma relação de iguais, providenciasse bases firmes e legais, para a construção de uma universidade de integração com base nos princípios da cooperação solidária.

Em outubro 2008, criou-se a Comissão de Implantação da Unilab, instituída pela secretária de educação superior. Uma missão desafiadora, porém, uma conquista, pois cada membro da comissão dedicou parte de sua experiência. O trabalho conjunto resultou na criação da Unilab.

Para chegar até aqui, no entanto, a Comissão responsável pela implantação da Unilab realizou, ao longo de dois anos, muitos trabalhos, entre eles, o levantamento e estudos sobre temas e problemas comuns ao Brasil e aos países parceiros, sobretudo os africanos; levantou atividades para o planejamento institucional, preparou a organização da estrutura acadêmica e curricular e a administração de pessoal, patrimônio, orçamento e finanças, visando a atender os objetivos do projeto de lei.

Durante esse período foram realizadas incansáveis reuniões, debates e parcerias importantes, tanto no Brasil como no exterior, pelos membros da comissão. Além disso, foram analisadas propostas e diretrizes elaboradas por entidades vinculadas ao desenvolvimento da educação superior no mundo. É importante lembrar que, neste processo de prospecção, foram privilegiados temas propícios ao intercâmbio de conhecimentos na perspectiva da cooperação solidária, além de sua aderência às demandas nacionais, relevância e impacto em políticas de desenvolvimento econômico e social.

A missão da Comissão era decisiva para o processo de implantação. No caminho foram encontradas muitas dificuldades e alegrias, parceiros e amigos que facilitaram o entendimento para a construção da Universidade e, em 20 de julho de 2010, o Presidente da República sancionou a lei nº 12.289 instituindo a Unilab como Universidade Pública Federal.

Após a nomeação do Reitor Pro Tempore Paulo Speller, os trabalhos da comissão foram encerrados. Vale ressaltar que o percurso até 25 de agosto de 2010, quando o Reitor tomou posse, conforme Port. MEC nº 936, de 21/07/2010, valorizou e potencializou o processo.

Foram muitas visitas à região do Maciço de Baturité, até chegar à cidade de Redenção, onde está instalada a sede da Unilab.