Colóquio Internacional discute perspectivas e desafios da Língua Portuguesa

Colóquio reuniu especialistas no Anfiteatro da Unilab na manhã desta terça-feira (24)

Teve início na manhã desta terça-feira (24) o Colóquio Internacional da Língua Portuguesa na Internet e no Mundo Digital promovido pelo Instituto Internacional da Língua Portuguesa – IILP (organismo ligado à Comunidade dos Países de Língua Portuguesa – CPLP). O evento reúne, até o próximo dia 26, especialistas, pesquisadores e interessados em aprofundar os conhecimentos na área a partir da apresentação de estudos e debates. Um dos objetivos do encontro é desenvolver planos de ações para a promoção, projeção e difusão da língua portuguesa.

Grupo camerístico oriundo da Orquestra de Câmara Eleazar de Carvalho

O primeiro dia do evento foi realizado no anfiteatro do Campus da Liberdade, sede da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-brasileira (Unilab), parceira do IILP no evento, com a apresentação do grupo camerístico oriundo da Orquestra de Câmara Eleazar de Carvalho. A mesa de abertura foi composta pelo reitor da Unilab, Paulo Speller; diretor executivo do Instituto Internacional da Língua Portuguesa (IILP), Gilvan Müller; membro do Conselho Nacional de Educação, Milton Linhares; e pelo coordenador de Política do Livro e da Leitura da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, Eduardo Fidelis.

Reitor Paulo Speller participou da mesa de abertura do evento

Na ocasião, o reitor Paulo Speller agradeceu a presença dos participantes, destacando a relevância para a Unilab em receber um encontro de tal grandiosidade. “A Unilab apoia integralmente este evento, sabendo que a Internet é um ambiente de todas as línguas e o português merece excelente atenção”, explicou.

Gilvan Müller ministrou a primeira conferência

A primeira Conferência do Colóquio foi ministrada pelo diretor executivo do Instituto Internacional da Língua Portuguesa (IILP), Gilvan Müller, que falou sobre a presença da língua portuguesa em diversas áreas, principalmente na Internet. “A economia, em tempos de globalização, depende das línguas para o desenvolvimento e é preciso que o português esteja dentro dessa sociedade do conhecimento. Hoje em dia, existem cerca de 7 milhões de pessoas que falam o português morando em países que não o tem como língua oficial”, comentou.

Representante da FUNREDES, Daniel Pimienta, apresenta dados referentes ao português na Internet

O diretor da Fundación Redes y Desarrollo (FUNREDES) da República Dominicana, Daniel Pimienta, apresentou a palestra: “O espaço das línguas na Internet: panorama e tendência”, em que mostrou dados referentes à diversidade linguística na Internet. “Há progressos, mas o português ainda não tem uma representação virtual à altura do seu peso mundial. É preciso políticas públicas para fortalecer a presença do português no mundo digital”, esclareceu.

MESAS-REDONDAS

A programação do Colóquio Internacional da Língua Portuguesa na Internet e no Mundo Digital prosseguiu à tarde com duas mesas-redondas. A primeira mesa foi coordenada pelo conselheiro Milton Linhares, representante do Conselho Nacional de Educação e teve como tema “Ciência e Formação Científica para o Português Digital”.

Antônio Horta Branco

A palestra inicial foi proferida pelo professor da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, Antônio Horta Branco, que falou sobre “A Língua portuguesa na era digital: desafios e oportunidades para a ciência e a tecnologia da linguagem”.

Francisco Cláudio Menezes

Em seguida, foi a vez da apresentação do professor da Universidade de Brasília, Francisco Cláudio Menezes, abordar “Multilinguismo no ciberespaço: a criação de uma b@bel digital”.

Júlio Araújo

Finalizando a primeira mesa, o professor Júlio Araújo, da Universidade Federal do Ceará, apresentou a temática “A Web e os princípios éticos na escrita acadêmica”.

Após as apresentações, os presentes puderam fazer suas perguntas e um dos temas levantados foi o abismo tecnológico que separa muitos países, inclusive no âmbito da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).  Dentro deste contexto foi citada a necessidade de transferência tecnológica entre as nações como forma de estimular o desenvolvimento do uso do português na internet.

Depois de um breve intervalo, o Colóquio continuou com a segunda mesa-redonda da tarde, intitulada “A língua portuguesa na internet: próximos desenvolvimentos”, que teve a coordenação da professora da Unilab, Monalisa Valente.

Carlos Ceccone

O primeiro palestrante foi Carlos Ceccone, do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGIbr), que apresentou o tema “A ação do CGIbr para fomentar conteúdos em português na Web e preservar a memória de sua cultura digital”.

Augusta Ribeiro

Na sequência, Augusta Ribeiro, da Adobe Systems, discorreu sobre “Considerações ao computes:  como a Adobe se adapta às novas tendências do Português na internet e no mundo digital”.

Manuel Fonseca

Para encerrar o primeiro dia do Colóquio, a palestra ficou a cargo de Manuel Fonseca, do Centro Microsoft para Desenvolvimento da Linguagem, em Portugal, que abordou o tema “Desenvolvimento de Novas Tecnologias em Português”.

III COLÓQUIO

Este é o terceiro colóquio internacional promovido pelo IILP. As outras edições aconteceram em Maputo, Moçambique, e na capital de Cabo Verde, Praia. O próximo encontro será em junho, em Luanda, Angola. O III Colóquio, organizado pelo IILP, é um dos eventos preparatórios à 2ª Conferência Internacional sobre o Futuro do Português no Sistema Mundial, que ocorrerá em Lisboa em outubro deste ano.

Links para Transmissão pela Internet

Você pode acompanhar a programação do Colóquio através da internet. Link para Transmissão Interativa – clique AQUI

Mais informações sobre o evento no LINK.

Comentários encerrados.