Solenidade marca lançamento da Cátedra Unesco/Unilab

Unilab recebe a visita do representante da Unesco Edem Adubra no lançamento da Cátedra Unesco / Unilab

O reitor da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), Paulo Speller, lançou na manhã desta terça-feira (23) a Cátedra Unesco/Unilab “Educação e Inovação para a Cooperação Solidária”, com a presença do Chefe da Sessão de Formação de Professores na sede da Unesco, Edem Adubra, e da coordenadora acadêmica da Cátedra Unesco/Unilab, Sofia Lerche. O encontro foi prestigiado por estudantes, professores, técnico-administrativos e pró-reitores. A abertura do evento foi feito pelo Quarteto de Cordas da Orquestra Eleazar de Carvalho.

Reitor Paulo Speller

Paulo Speller destacou o momento importante para a Unilab, ressaltando o envolvimento de todos os setores da universidade para o melhor desenvolvimento da atuação da Cátedra, além disso, falou da necessidade em criar ações de cooperação na área de educação básica. “A Cátedra é o reconhecimento do trabalho que vem sendo desenvolvido pela Unilab e cabe a nós buscarmos caminhos e projetos para o bom andamento deste trabalho. A Cátedra da Unilab está ligada a um conjunto de políticas públicas na área da educação básica e formação de professores, então, nós esperamos que a partir desse programa aconteça um avanço na execução de políticas na área e uma ampliação da discussão do tema”, disse o reitor, que encerrou o seu discurso dando boas vindas ao representante da UNESCO, Edem Adubra.

Edem Adubra

Edem demostrou a sua alegria ao visitar a Unilab e conhecer o trabalho na área de cooperação solidária e formação de professores que vem sendo desenvolvido. “O Brasil tem muito o que contribuir ao mundo, através desta colaboração internacional proposta pela Unilab. Nós podemos desenvolver o mundo inteiro a partir dessa perspectiva de uma educação básica de qualidade. Nesse sentido, a Unesco pretende ajudar aos países para a formação de professores e reforçar a capacidade dos gestores em implantar políticas de educação”, comentou o Chefe da Sessão de Formação de Professores da Unesco. Na ocasião, ele saudou os estudantes da Unilab que pretendem seguir a carreira docente: “vocês são o futuro e a prosperidade do mundo. O desenvolvimento das comunidades está em suas mãos”.

Coordenadora acadêmica da Cátedra Unesco / Unilab, Sofia Lerche

A coordenadora acadêmica da Cátedra e pesquisadora pelo Programa Professor Visitante Nacional Sênior (PVNS), Sofia Lerche, fez uma breve apresentação dos objetivos e das atividades gerais do programa. “A Cátedra é um voto de confiança dada pela Unesco para uma rede de instituições. O nosso foco é atuar na educação básica, por meio da formação de professores, da região do Maciço de Baturité e de países africanos. Um dos objetivos é elaborar um plano de desenvolvimento de cooperação em educação”, explica. De acordo com a coordenadora, a Cátedra vai atuar em três vertentes: Formação continuada de professores; Formação continuada de gestores; e Pesquisa-ação para a melhoria da educação básica.

Apresentação de cursos 

Os professores da Unilab se reuniram com Edem Adubra

Na agenda da tarde na Unilab, o Chefe da Sessão de Formação de Professores na sede da Unesco, Edem Adubra, e a coordenadora acadêmica da Cátedra Unesco/Unilab, Sofia Lerche se reuniram com professores dos cursos de licenciatura Ciências da Natureza e Matemática e de Letras/Língua Portuguesa. O encontro foi realizado a pedido de Edem Adubra que manifestou interesse em conhecer os projetos desenvolvidos pela Unilab para identificar quais podem ter interface com a Sessão de Formação de Professores na sede da Unesco. “Acho que o Brasil tem grande potencial de cooperação na área de formação de professores e nosso objetivo é pensar numa agenda de cooperação com a Unilab nesta área”, diz.

O professor Aristeu Lima apresentou o Curso Ciências da Natureza e Matemática

O professor Aristeu Lima fez a apresentação do Curso Ciências da Natureza e Matemática. Ele explicou a proposta de formação dos alunos e apresentou outros programas em desenvolvimento: Programa TEIA (Turmas de Ensino, Integração e Aprendizagens), Programa de Licenciaturas Internacionais (PLI), Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID), Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC).

Professora Ana Cristina Cunha apresentou o Curso de Letras

A professora Ana Cristina Cunha da Silva apresentou a formação proposta pelo Curso de Letras/Língua Portuguesa e destacou ainda a realização de projetos de pesquisa na área e o desenvolvimento de dois projetos de extensão nas áreas de inglês, Clube de Inglês, e de francês, Francofonia na Unilab – Curso de Francês. Edem Adubra destacou que a Unilab tem uma característica diferenciada das outras universidades brasileiras por receber muitos alunos que têm o português como segunda língua.

Adubra enfatizou que o uso da língua portuguesa é fundamental para a difusão da ciência na Unilab, mas destacou que a Universidade deve levar em consideração os contextos linguísticos, além de outros fatores como o econômico e o social, de cada país para complementar esse ensino. “É uma questão de honra para a Unilab levar a qualidade de ensino nessas três línguas – português, inglês e francês – que são ensinadas aqui”, diz. E

Mais informações:

Download (PDF, 858KB)

Comentários encerrados.