Campus dos Malês é inaugurado em São Francisco do Conde, na Bahia

descerramento-da-placa-campus-sao-francisco-do-conde-unilab

Placa do Campus dos Malês é descerrada pelo Ministro da Educação José Henrique Paim (à esq.) (Foto: Assecom/Unilab)

Considerado o município de maior população negra declarada no censo do IBGE, São Francisco do Conde, na Bahia, recebeu ontem (12) a inauguração do campus da Unilab, nomeado de Campus dos Malês. A universidade, que tem sede na cidade de Redenção, interior do Ceará, vive a experiência inovadora de ter suas atividades acadêmicas e administrativas espalhadas em dois estados brasileiros.

Participaram do evento a reitora da Unilab, Nilma Lino Gomes, o vice-reitor, Fernando Afonso Ferreira, a pró-reitora de Extensão, Arte e Cultura, Ana Lúcia Silva Souza e outros representantes da comunidade acadêmica. Na ocasião, estiveram presentes o ministro da Educação, José Henrique Paim; a ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR), Luiza Bairros; a secretária de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (SECADI/MEC), Macaé Evaristo; o governador do Estado do Bahia, Jaques Vagner; a prefeita de São Francisco do Conde, Rilza Valentim, além de embaixadores, reitores e autoridades políticas. Presença muito comemorada pela multidão que participou do evento foi a do ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva.

estudantes-reunidos-campus-sao-francisco-do-conde-unilab

Reunidas com os estudantes da Unilab, (esq. p/ dir.) a secretária da Secadi/MEC Macaé Evaristo, a reitora Nilma Lino Gomes e a ministra da SEPPIR Luiza Bairros (Foto: Assecom/Unilab)

Em sua fala, a reitora da Unilab fez questão de salientar o caráter público da universidade e o desejo de integração entre a comunidade e os estudantes brasileiros, africanos e posteriormente timorenses. “Que nós possamos construir nessa região um ensino superior público de qualidade, assim como as nossas outras universidades federais parceiras [UFRB e UFBA] vêm construindo. Para nós é uma grande honra inaugurarmos hoje o nosso Campus dos Malês, em homenagem à Bahia e a toda a tradição de resistência que esse estado tem”, destacou.

O nome do campus faz referência à Revolta dos Malês, movimento de resistência que aconteceu em janeiro de 1835 na capital baiana, Salvador, e que foi protagonizado por africanos que eram escravizados. O movimento recebeu esse nome por serem assim chamados os negros muçulmanos que o organizaram. A expressão “male” vem de “imalê”, que na língua iorubá significa “muçulmano”. Os malês eram, portanto, os muçulmanos de língua iorubá, conhecidos como “nagôs” na Bahia.

pronunciamento-lula-campus-sao-francisco-do-conde-unilab

Doutor Honoris Causa da Unilab, o ex-presidente Lula fala aos presentes (Foto: Assecom/Unilab)

publico-inauguracao-campus-sao-francisco-do-conde-unilab

Multidão participa do evento de inauguração do Campus dos Malês, em São Francisco do Conde (Foto: Assecom/Unilab)

Idealizador da proposta da Unilab, o ex-presidente Lula lembrou aos presentes a missão da qual participou em 2005 à Ilha de Gorée, no Senegal, quando visitou a prisão conhecida como “porta do nunca mais”, assim chamada pela certeza que os escravos tinham de não mais retornar quando passavam por ela para embarcar nos navios negreiros. À época como presidente, Lula pediu perdão ao povo africano pelo que aconteceu no Brasil no tempo da escravidão. “Durante séculos, a África perdeu parte de sua juventude para ser escrava em vários países do mundo. Tomei consciência de que a dívida do Brasil com a África era de tamanha magnitude que ela teria que ser paga com solidariedade e com o reconhecimento de que foi a mistura de negros, índios e europeus que transformou o Brasil nesta coisa bonita e alegre que é. Então, achei que uma das formas de contribuir seria criar uma universidade em que pudéssemos trazer para cá jovens africanos, formá-los profissionalmente e devolvê-los ao seu país para que ajudasse a África a dar o salto de qualidade que tanto precisa dar”, destacou o Doutor Honoris Causa da Unilab, título que recebeu em 2013.

visita-ao-campus-sfc-unilab

Reitora da Unilab apresenta campus a grupo de autoridades, entre elas o ministro da Educação José Henrique Paim e o ex-presidente Lula (Foto: Assecom/Unilab)

comitiva-em-visita-ao-campus-sao-francisco-do-conde-unilab

(esq. p/ dir.): Jaques Vagner, governador da Bahia; Fernando Afonso Ferreira, vice-reitor da Unilab; Lula, ex-presidente; Nilma Lino Gomes, reitora da Unilab; Núbia Moura Ribeiro, diretora do Campus dos Malês; e Rilza Valentim, prefeita de São Francisco do Conde (Foto: Instituto Lula)

Tendo iniciado suas atividades em fevereiro de 2013 com cursos de graduação e pós-graduação na modalidade a distância, o Campus dos Malês oferta, a partir do próximo dia 26, seus primeiros cursos presenciais: Bacharelado em Humanidades (BHU) e Letras – Língua Portuguesa. Na modalidade a distância, são ofertados, na graduação, o curso de Administração Pública e, na pós-graduação, as especializações Gestão Pública, Gestão Pública Municipal e Gestão em Saúde. A diretora do campus, Núbia Moura Ribeiro, considera a inauguração o marco da concretização de um sonho, construído em etapas ao longo de 2013. “O ano passado foi vivido como uma preparação para este momento, pelo fato de que agora vamos exprimir essa vida acadêmica em sua plenitude cotidiana com a presença docente e discente mais efetiva”, pontua. No campus da Bahia, a professora Ludmylla Mendes Lima assume como coordenadora do curso de Letras – Língua Portuguesa e o professor Carlindo Fausto Antônio como coordenador do Bacharelado em Humanidades.

estudantes-inauguracao--campus-sao-francisco-do-conde-unilab

Reitora recebe presente dos estudantes Jocilene Bandeira e Neemias Nanque (Foto: Assecom/Unilab)

Vindo de Guiné-Bissau, o estudante Neemias António Nanque, do curso de Humanidades, comemora o momento. “A Unilab é para nós um espaço de união, confraternização e solidariedade. Sairemos daqui como homens e mulheres qualificados para enfrentar os desafios de mudança em nossas terras”, afirmou Neemias que, juntamente com Jocilene Bandeira, estudante brasileira do curso de Administração Pública, representou a comunidade estudantil no evento.

Comentários encerrados.