Construção de hospital universitário no Maciço de Baturité é defendida em audiência

Audiência pública debate a construção e implantação de um hospital universitário para atender o novo curso de Medicina da Unilab. Foto: Marcos Moura.

Audiência pública debate a construção e implantação de um hospital universitário para atender o novo curso de Medicina da Unilab. Foto: Marcos Moura.

A Comissão de Seguridade Social e Saúde da Assembleia Legislativa do Ceará realizou, na tarde desta sexta-feira (6), audiência pública para discutir a construção e implantação de um hospital universitário para atender o novo curso de Medicina da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), no município de Acarape, no Maciço de Baturité.

O deputado Bruno Pedrosa (PSC), requerente da audiência, avaliou que a implantação do curso e possível construção do hospital universitário são grandes oportunidades de melhorar a saúde da população da região do Maciço de Baturité. O parlamentar informou que vai propor ao governo um estudo de viabilidade técnica. Ele também adiantou que vai apresentar uma emenda para que sejam destinados R$ 10 milhões no orçamento de 2016 para a construção do hospital universitário.

Reitor da Unilab, Tomaz Mota Santos defendeu a instalação do hospital no Maciço de Baturité. Foto: Marcos Moura.

O pró-reitor de Planejamento da Unilab, Plínio Maciel, enfatizou que a abertura do curso vai trazer diversos benefícios, como infraestrutura, emprego e renda, investimentos particulares, além dos impactos já esperados na saúde da população.

Para o presidente da Associação dos Municípios do Maciço de Baturité (AMAB) e prefeito de Aracoiaba, Antônio Cláudio Pinheiro, a universidade deve oferecer cotas para os estudantes de escolas públicas da região, para que “essa oportunidade chegue também para os filhos dos agricultores”.

O reitor da Unilab, Tomaz Aroldo da Mota Santos, destacou a importância da formação de mão de obra qualificada para melhorar a saúde da população da região. Ele também afirmou que a criação do curso de Medicina irá trazer desenvolvimento cultural, social e econômico. O reitor ainda avaliou como fundamental a construção do hospital universitário e, para isso, pediu o apoio da Assembleia Legislativa e do Governo do Estado.

Segundo a representante do Instituto de Ciências da Saúde da Unilab, Maria Auxiliadora, há grande dificuldade de encontrar médicos para trabalhar no interior do Estado. Ela defendeu que a interiorização do ensino poderá ajudar a manter os estudantes nessas cidades após sua formatura.

O ex-secretário da Saúde do Ceará e representante da Fiocruz, Carlile Lavor, comentou ser essencial fortalecer as estruturas dos hospitais regionais, clínicas e policlínicas já em funcionamento na região, pois os primeiros anos de estudos dos futuros médicos ocorrem nessas instituições.

Também participaram da audiência pública o vice-reitor da Unilab, Aristeu Lima; a representante da Comissão de Implantação do Curso de Medicina, Emília Chaves; o prefeito de Acarape, Franklin Veríssimo, e o prefeito de Capistrano, Cláudio Saraiva.

Fonte: Assembleia Legislativa.

Comentários encerrados.