Dia D contra o Mosquito foi marcado por uma grande passeata pelas ruas de Redenção

dia D 0010O mosquito Aedes Aegypti tem imposto à sociedade brasileira desafios monumentais, causando graves problemas de saúde com doenças como dengue, chikungunya e Zika, esta apontada como a responsável pela microcefalia. Mas, maior que esse desafio tem sido a capacidade de mobilização, que é, para os especialistas, a arma mais eficaz para combater o mosquito. Na manhã desta sexta-feira (26), a Unilab e o poder municipal de Redenção escreveram mais um capítulo dessa união na luta contra o Aedes, promovendo o “Dia D Contra o Mosquito”.

A mobilização reuniu mais de trezentas pessoas. A maior parte desse coletivo foi formada por estudantes: da Unilab, das escolas municipais Edmilson Barro e Maria Augusta Russo, da creche Francisca de Arruda Pontes e da Escola Profissionalizante Adolfo Ferreira de Sousa. Além do corpo discente, estiveram presentes na mobilização: agente de Saúde, agente de Endemias e os secretários de Saúde, da Educação e da Assistência Social do município de Redenção.

Estudante da Unilab.

Estudante da Unilab.

Com cartazes e faixas que diziam, entre outras coisas, “Se o mosquito pode matar, ele não pode viver” ou “Prevenir é sempre o melhor”, a mobilização, que contou com a participação especial da Fanfarra municipal, deu início a uma caminhada que saiu do Campus da Liberdade, passou pelo centro e terminou na Praça do Obelisco em Redenção.

Durante todo o percurso, puxado pelo secretário de Saúde de Redenção, Jadson Ferreira, houve sensibilização da população por meio de distribuição de panfletos, colagem de cartazes e orientação de como prevenir e combater o mosquito.

 

Fanfarra Municipal de Redenção: embalou o cortejo da Unilab à Praça do Obelisco.

Fanfarra Municipal de Redenção: embalou o cortejo da Unilab à Praça do Obelisco.

“Temos que está cada dia mais atentos. Antes, o mosquito transmitia só a dengue. Hoje, nós sabemos que ele transmite outras doenças. Mas, juntos, organizados, vamos travar e vencer essa batalha. Nenhum mosquito é mais forte do que a nossa união. Por isso que informar e educar são as nossas melhores armas”, afirmou Ferreira do auto-falante de um carro à frente da passeata.

Se a educação é a melhor arma, nada mais sensato do que contar com a participação das crianças, que demonstraram estar sintonizadas com o momento. “A gente não pode se preocupar com o mosquito só quando tem uma pessoa da nossa família doente, passando mal, mas pensar nisso para o bem do Brasil”, discursou Maria Letícia, estudante da Escola Edmílson Barros de Oliveira.

Maria Letícia, estudante da creche Francisca de Arruda Pontes.

Maria Letícia, estudante da Escola Edmílson Barros de Oliveira.

Com expressão de surpresa e contentamento, os moradores de Redenção receberam de braços abertos a mobilização. “Estou surpresa. Não esperava tanta gente assim. É bonito a gente ver essa união das crianças, dos jovens, dos professores, para acabar com esse mosquito, que é muito perigoso. Mas, se cada um fizer sua parte, o mosquito não tem vez”, disse Maria Alves, moradora de Redenção.

O Dia D contra o Mosquito é a culminância de uma série de ações, transcorrida durante o mês de fevereiro, que capacitou e sensibilizou a população de Redenção para o enfrentamento do mosquito Aedes Aegypti.

dia D 0016

Comentários encerrados.