Núcleo de Políticas de Gênero e Sexualidades realiza evento sobre mulheres e as culturas africanas e afro-brasileiras

Núcleo de Políticasw de Gênero e Sexualidade

O Núcleo de Políticas de Gênero e Sexualidades (NPGS), vinculado à Pró-Reitoria de Políticas Afirmativas e Estudantis (Propae), realiza na próxima sexta (18) e sábado (19) a jornada “Mulheres e Culturas Africanas e Afro-Brasileiras”. A abertura acontece no Pátio Administrativo do Campus Liberdade, em Redenção/CE, a partir das 14h, com uma Roda de Conversa sobre o “Papel da Mulher na Capoeira”.

Ainda na sexta (18), às 19h, será realizada no Auditório do Bloco Didático do Campus da Liberdade, uma Mesa Redonda com o tema: “As mulheres e as (re)invenções das tradições de matrizes africanas”. A mesa contará com as participações da Mestra Cristina Dias e da professora Artemisa Monteiro.

No sábado (19), a programação se dará na Associação Zumbi Capoeira, localizada na Avenida da Universidade 3107, Fortaleza/CE, onde acontece, às 15h, uma “Oficina de Capoeira Angola”, seguida de Roda de encerramento.

Sobre a jornada

A jornada “Mulheres e Culturas Africanas e Afro-Brasileiras” é um evento organizado no contexto do mês em alusão ao Dia Internacional da Mulher. Esta data foi criada por diversas mobilizações internacionais de mulheres por melhores condições de trabalho nos finais do século XIX e início do XX.

Segundo a organização da jornada, “o debate sobre ´As mulheres e as (re)invenções das tradições de matrizes africanas´ traduz a possibilidade do diálogo entre o saber acadêmico e o notório saber das tradições africanas e afro-brasileiras”.

“No contexto da Unilab, urge criar a interface entre as lutas e identidades de gêneros e as questões étnico-raciais. Assim, propomos um diálogo entre a comunidade acadêmica e da região do Maciço de Baturité com a Mestra Cristina Santos, professora, pedagoga da rede municipal infantil de Niterói e capoeirista Angola, desde 1993”, destaca a professora Violeta Holanda, que também é coordenadora do NPGS.

NPGS:

Em pouco mais de dois anos de funcionamento, o NPGS atua diante de um quadro de múltiplas identidades, e se constitui como um importante espaço de atuação, articulação e formação crítica sobre as diversas configurações das lutas e identidades de gêneros e sexualidades em interface com as relações étnico-raciais.

Mulheres e as culturas africanas_Gabarra

 

Comentários encerrados.