Palestra debate nova literatura negrobrasileira e aborda quatro autores

Livro "Correntezas", de Lívia Natália. Foto: reprodução.

Livro “Correntezas”, de Lívia Natália. Foto: reprodução.

O Literarte, Grupo de Estudos em Literatura e outras linguagens, apresenta, nesta quarta-feira (16), a palestra “A novíssima literatura negrobrasileira. Três poetas baianos e uma romancista paulista: Lívia Natália, Guellwaar Adún, Eduardo Oliveira e Miriam Alves. O evento ocorre às 16h, no auditório do Campus dos Malês, com a Moema Parente Augel, autora de “O desafio do escombro: nação, identidades e pós-colonialismo na literatura da Guiné-Bissau”.

A palestra busca refletir sobre procedimentos e caminhos de manifestações de autoreconhecimento e de afirmação identitária presentes na literatura negro-brasileira contemporânea, a partir de publicações muito recentes. Serão ressaltados alguns aspectos da produção literária dos escritores abordados: a valorização positiva de ser-negro-no-mundo e a tematização sem subterfúgios da mística religiosa de raízes africanas, fortalecida pela vívida presença dos ancestrais.

Haverá certificados para os ouvintes.

Sobre a palestrante

Moema Parente Augel é doutora em Literaturas Africanas pela UFRJ e mestra em Ciências Humandas pela UFBA. É professora aposentada de Português como Língua Estrangeira na Alemanha, tendo exercido o magistério nas Universidades de Bonn, Colônia, Hamburgo e Bielefeld. Suas áreas de interesse são a literatura afro-brasileira, a literatura de GUiné-Bissau, a literatura de viagens no século XIX, com publicações diversas tanto no Brasil como na Europa e nos Estados Unidos.

Comentários encerrados.