Abertura do I Festival das Culturas da Unilab, no Campus dos Malês, é marcada pela presença das comunidades interna e externa

Filarmônica de São Francisco do Conde/BA

Filarmônica de São Francisco do Conde/BA

A abertura do I Festival das Culturas, no Campus dos Malês, na Bahia, foi marcada pela presença, envolvimento e participação dos estudantes do campus, com muita arte e cultura espalhadas em todos os cantos da universidade. O evento iniciou com a transmissão, por videoconferência, da abertura oficial no Campus da Liberdade, no Ceará, e em seguida teve a abertura presencial realizada no auditório da instituição.

Transmissão por videoconferência

Transmissão por videoconferência

Mesa de abertura - Crédito: Felipe Gomes

Mesa de abertura – Crédito: Felipe Gomes

Participaram da mesa de abertura a diretora do campus, professora Matilde Ribeiro; o secretário de cultura de São Francisco do Conde/BA, Osman Ramos; a representante da Secretaria de Educação e Cultura de São Sebastião do Passé/BA, a diretora Mirian Capistrano; e a representante da comissão organizadora, a servidora Aldemária Ione Santos. Para Matilde, “esse Festival significa uma concretização do encontro da produção acadêmica com a vida. As atividades culturais realizadas pelos envolvidos promovem intercâmbio de saberes e pensares e é uma iniciativa importante, uma vez que a universidade é o reflexo do cotidiano e a participação da comunidade externa traz uma renovação pela interação que acontece e isso pode gerar bons frutos”, disse ela.

Grupo de hip-hop “Bota a Fala” -Projeto de Extensão da Unilab “Bota a Fala: hip-hop

Grupo de hip-hop “Bota a Fala” -Projeto de Extensão da Unilab “Bota a Fala: hip-hop

Para a produção do evento foram necessários dias de dedicação, atenção, contatos e iniciativas para que o projeto acontecesse. De acordo com o representante da comissão organizadora do Campus dos Malês, Reinaldo Pereira, “o Festival é uma iniciativa da Unilab como um todo, organizada pela Pró-Reitoria de Extensão Arte e Cultura (Proex), e tem o objetivo de expor as culturas dos países que compõe a instituição. É um evento importante para a comunidade acadêmica, uma vez que há culturas regionais, nacionais e internacionais diferenciadas e os participantes só tem a ganhar”, afirmou . Ainda segundo ele, “é uma responsabilidade estar à frente da organização, pois são muitas as contribuições que os estudantes podem receber”.

Coral Santo Amaro

Coral Santo Amaro

As participações dos estudantes na organização estão marcando o movimento de forma positiva, gerando engajamento e crescimento acadêmico e profissional. Danilson Veiga, do curso de Bacharelado em Humanidades (BHU), está contribuindo como monitor do evento e, segundo ele, “é a primeira vez que estamos promovendo um evento desse perfil e é uma oportunidade levar a teoria para a prática. É uma experiência rica e está sendo gratificante contribuir para o crescimento da universidade. Dentro da proposta da Unilab, espero conseguir alcançar a meta da integração entre os estudantes de diversos países, servidores e comunidade externa”, disse ele.

Coral da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS)

Coral da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS)

O festival continuou durante a noite com uma programação artística e musical que representaram as culturas da cidade, da região e dos países parceiros. Para Elane Rodrigues, do curso de BHU, que também está contribuindo como monitora, “o Festival veio para abrir as portas para a população conhecer a Unilab. A região do Recôncavo da Bahia tem muito a ganhar com a presença da universidade na região e está sendo uma oportunidade para os alunos, assim como a comunidade externa, mostrar o seu trabalho”, concluiu.

Kizomba

Kizomba

O Festival das Culturas continua até a próxima sexta-feira (22) nos campi da Unilab. Confira a programação no site:

Programação – Festival das Culturas

BOTAO-AVALIE

Comentários encerrados.