Filme que retrata a cultura dos povos indígenas cearenses será exibido e debatido na Unilab

 Imagem do filme Suaçuamussará, de Henrique Dídimo, com produção do SESC.

Imagem do filme “Suaçuamussará”, de Henrique Dídimo, com produção do SESC.

Será exibido amanhã (4), no Auditório do Campus da Liberdade, em Redenção/CE, às 19h, o documentário “Suaçuamussará”. A exibição, que contará com a presença do realizador Henrique Dídimo, faz parte dos trabalhos da disciplina de Educação Intercultural Indígena, ministrada no bacharelado em Humanidades da Unilab, pelos professores Caroline Leal e Roberto Kennedy, ambos do Grupo de Estudos com Povos Indígenas (GEPI).

O filme relata a jornada de duas lideranças do povo Tremembé, o cacique João Venança e o pajé Luís Caboco, em busca de conhecer e interagir com catorze comunidades indígenas do Ceará. Eles percorreram cerca de vinte municípios, escutando histórias sobre ancestralidade, espiritualidade, cultura e lutas.

O título do filme é um termo da língua tremembé, e significa, segundo o pesquisador Guaracy Rodrigues, “o tempo antigo, grande, acabou, mas tudo permanecerá”, o que sintetiza o espírito de manutenção e legado da cultura indígena no Ceará.

“Suaçuamussará” foi gravado e editado entre os anos de 2013 e 2015, a partir de uma pesquisa que envolveu uma ampla equipe do Sesc e parceiros colaboradores. O projeto também contempla um livro de 250 páginas, intitulado “Herança Nativa”, que, junto ao filme, forma um material inédito de pesquisa sobre os povos indígenas cearenses.

BOTAO-AVALIE

Comentários encerrados.