Primeiros mestres da Unilab recebem diploma em solenidade

Primeira turma do Masts recebe diplomas de mestre em solenidade. Foto: Assecom/Unilab.

Os primeiros mestres da Unilab, do Mestrado Acadêmico em Sociobiodiversidade e Tecnologias Sustentáveis (Masts), receberam seus diplomas em solenidade realizada no último dia 8, no Campus das Auroras, em Redenção/CE. O Dia Internacional da Mulher esteve na pauta, uma vez que a turma tinha sete pesquisadoras.

O vice-reitor pro tempore, Aristeu Lima, destacou a vitória que significa uma pós-graduação, principalmente quando os estudantes são os primeiros da família a conquistarem o título de mestre. Ressaltou ainda a importância social das pesquisas desenvolvidas. “Vocês produziram tecnologia para melhorar os problemas da nossa região e do nosso povo”, arrematou.

Vice-reitor pro tempore da Unilab, Aristeu Lima.

O professor também citou a luta necessária por igualdade entre homens e mulheres. “Nós sabemos que as mulheres recebem 30% a menos que os homens em nosso país; sabemos também que, dos 105 mil estudantes da pós, apenas 5% são mulheres negras. É contra essa realidade que temos de lutar”, disse.

Pró-reitora de Pesquisa e Pós-Graduação, Albanise Marinho parabenizou os pesquisadores, reforçando o caráter pioneiro da turma. No mesmo sentido se expressou o professor Juan Carlos Alcócer, coordenador do Masts. “Há três anos dávamos as boas-vindas à turma e hoje falamos de trabalhos excelentes, alunos e professores com sonhos. Cada um sabe dos sacrifícios que foram feitos”, sublinhou.

Mestre André Luis Aires discurso em nome da turma. Foto: Assecom/Unilab.

Em nome da turma, André Luis Aires fez um pequeno discurso, rememorando tudo que foi enfrentado junto e celebrando as vitórias. “Assim como eu, a maioria dos alunos com os quais convivi têm origem familiar pobre e rural, cujos pais e irmãos não cursaram faculdade; estudantes de escolas públicas, que encontraram na educação uma forma de melhorar de vida. E a Unilab cumpre um ambicioso papel de desenvolver uma proposta curricular diferenciada, empoderando as pessoas com o saber e diminuindo as desigualdades sociais”, disse. O mestre destacou ainda as pesquisas das sete colegas de classe, parabenizando-as pelo Dia Internacional da Mulher, e também o fato de dois colegas já terem sido aprovados em Doutorados.

Tarde de celebrações

A mestre Luciene da Silva comemora o título com a filha no colo. Ela estudou biodigestores em áreas rurais, que, dentre outros benefícios, tratam os dejetos animais, gerando gás de cozinha e fertilizante natural, um suporte à agricultura familiar e ao manejo agroecológico. Foto: Assecom/Unilab.

Com a filhinha de quase dois anos no colo, olhos marejados e voz embargada, Luciene da Silva comemora o título de mestre. Ela é autora da dissertação “A aplicabilidade de uma tecnologia sustentável no município de Barreira do Maciço do Baturité”. “Trabalhei com biodigestores. A ideia era tratar de dejetos suínos numa pequena propriedade, mas esse biodigestor também pode trabalhar para o tratamento de dejetos de outros animais e de outros resíduos orgânicos que a propriedade venha a produzir”, resume.

Luciene é natural da região do Cariri, no sul do Ceará, e reside no município de Barreira há alguns anos, onde é secretária adjunta da Secretaria de Agricultura. Tecnóloga em Recursos Hídricos e Saneamento Ambiental, fez especialização em Gestão Governamental pela Unilab. “Muita felicidade, a gente vem de uma família pobre, enfrenta várias dificuldades, então é uma satisfação total”, disse, sobre a mais recente conquista.

O mestre Ebenézer Patrão, guineense, analisou a sustentabilidade de exploração dos recursos naturais nos arquipélagos dos Bijagós, na Guiné-Bissau. Foto: Assecom/Unilab.

Ebenézer Patrão, 29 anos, guineense, também tinha muito o que comemorar. Em sua pesquisa de mestrado, desenvolveu uma análise da sustentabilidade de exploração dos recursos naturais nos arquipélagos dos Bijagós, na Guiné-Bissau. “Busquei abordar e analisar a relação do povo bijagós com a natureza , sua cosmovisão, e principalmente, os processos extrativistas e de manejo na região. O estudo percorre diversas áreas de conhecimento, permitindo, assim, a conscientização da sociedade através do material produzido”, destaca.

Ebenézer é graduado em Gestão de RH e Administração; tem especialização em Elaboração e Gestão de Projetos e está concluindo uma graduação em Ciência Política. O pesquisador pretende dar continuidade à pesquisa de mestrado, desta vez produzindo uma tese de doutorado.

Sobre o Masts

O Mestrado Acadêmico em Sociobiodiversidade e Tecnologias Sustentáveis (Masts) foi o primeiro programa stricto sensu ofertado pela instituição, com 15 vagas, segundo o edital nº 007, de fevereiro de 2014. Os novos mestres estão habilitados para atuar, entre outras frentes, na elaboração de projetos que busquem a valorização dos recursos naturais locais, regionais e internacionais, especialmente da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Confira a lista das dissertações produzidas:

“Avaliação da gestão dos resíduos sólidos domiciliares na região do Maciço de Baturité”, de Adriana Barbosa de Sousa Nunes, orientada por John Hebert da Silva.

“Seleção de plantas com atividade larvicida para o controle de Aedes aegypti e Aedes albopictus”, de Alzeir Machado Rodrigues, orientada por Víctor Emanuel Pessoa .

“Na nossa terra tem murici e batiputá: o conhecimento etnobotânico dos tremembé sobre as frutas nativas”, de André Luis Aires Pinto, orientada por Maria do Socorro Rufino.

“A classificação dos interesses envolvidos em uma parceria público privada através dos stakeholders”, de Antonia Danniele Jeska Torres de Oliveira, orientada por Carlos Mendes Tavares.

“Fatores Bio-Socioeconômicos e culturais associados à saúde bucal dos acadêmicos da Unilab”, de Cosmo Helder Ferreira da Silva, orientada por Daniel Freire de Sousa.
“Análise da sustentabilidade de exploração dos recursos naturais nos arquipélagos dos Bijagós”, de Ebenézer Patrão Correia, orientada por Luís Tomás Domingos.

“Avaliação da segurança nutricional de Pereskia aculeata Miller e seus aspectos nutritivos em uma dieta crônica de suplementação alimentar proteica para camundongos”, de Etho Roberio Medeiros Nascimento, orientada por Juliana Jales de Hollanda.

“Análise e contribuição da Mandalla como sistema produtivo sustentável na unidade familiar”, de Hélida de Oliveira Barroso, orientada por Rodrigo Aleixo Brito de Azevedo.
“Corpo e ancestralidade em danças negras brasileiras contemporâneas: processos de pertencimento afro no ponto de cultura galpão da cena- Itapipoca-CE”, de José Rinardo Alves Mesquita, orientada por Luís Tomás Domingos.

“O banco Palmas e a prática do ecodesenvolvimento do conjunto palmeiras na cidade de Fortaleza-CE”, de José Selmo dos Santos Silva, orientada por João Batista Pereira.
“A aplicabilidade de uma tecnologia sustentável no município de Barreira do Maciço do Baturité”, de Maria Luciene da Silva, orientada por Juan Carlos Alvorado Alcócer.

“Extração da bromelina a partir casca do abacaxi (Ananas Comosus) e sua imobilização em esferas de hidrogel para síntese de ésteres de interesses energético”, de Mauro Macedo de Oliveira, orientada por Aluísio Marques da Fonseca.

“Utilização de fogões ecológicos como uma tecnologia sustentável: um estudo de caso na comunidade Garapa I, no município de Acarape/CE”, Paula Andréia Bezerra Insaurra, orientada por Juan Carlos Alvorado Alcócer.

“O emprego do objeto direto anafórico de terceira pessoa na língua falada de Fortaleza-CE”, de Tereza Maria de Lima, orientada por Cássio Florêncio Rúbio.

Comentários encerrados.