Quarta Cultural apresenta uma peça do premiado Grupo de Teatro Clowns de Shakespeare

Cena da peça teatral “As Caçadoras de Histórias”.

a peça teatral “As Caçadoras de Histórias”.

O projeto Quarta Cultural Maciço de Arte, vinculado à Coordenação de Arte e Cultura/Proex, apresenta, na próxima quarta-feira (22), no Ginásio da Secretaria de Educação de Redenção/CE, às 15h, a peça teatral “As Caçadoras de Histórias”.

A peça, montada pelo premiado Grupo de Teatro Clowns de Shakespeare (Natal/RN), é sobre um dia muito especial na vida da atrapalhada Boia, no qual ela terá de descobrir, por meio de um teste, se é mesmo uma verdadeira caçadora de história oficial.

Para a obter esse título honorável, Boia terá que convencer o público e sua supervisora Suri de seu talento, contando as mais extraordinárias e divertidas histórias que conhece sobre o reino animal. Assim, por meio da narrativa, Boia valoriza a diversidade da fauna e os princípios humanos, como cooperação e camaradagem.

A apresentação desse espetáculo ocorre em parceria com o Centro Cultural Banco do Nordeste (CCBNB) e a Prefeitura de Redenção.

Sobre o Grupo

Clowns de Shakespeare foi criado em 1993 em Natal, Rio Grande do Norte, o Grupo de Teatro Clowns de Shakespeare vem, desde então, desenvolvendo uma investigação com foco na construção da presença cênica do ator, a musicalidade da cena e do corpo, teatro popular e comédia, sempre sob uma perspectiva colaborativa. Mesmo sem trabalhar diretamente com palhaço, a técnica do clown está presente na sua estética, seja na lógica subvertida do mundo, seja na relação direta e verdadeira com a plateia, seja no lirismo que compõe o universo desses seres. Além, é claro, de toda a sua carga cômica.

As comédias shakespearianas vieram a contribuir para essa pesquisa. Sem adotar uma atitude “museológica” sobre o bardo, no entanto sem desrespeitar a sua genialidade, o desafio tem sido encontrar, na universalidade da obra do dramaturgo, o que faz sentido para o grupo. No seu currículo, o grupo traz importantes conquistas que conferem uma posição de referência na cena potiguar e nordestina, passando por cerca de 80 de cidades brasileiras, dentre elas, 24 capitais e o Distrito Federal, e ainda percorrendo mais de 30 cidades do interior do Rio Grande do Norte.

Além disso, atravessou as fronteiras do país, levando seus espetáculos para Portugal, Espanha, Chile, Equador, Uruguai. Premiado pelos seus espetáculos (SHELL, APCA, dentre outros), o grupo já se apresentou em diversos festivais importantes do país, inclusive os do circuito internacional (Festival de Teatro de Curitiba, de São José do Rio Preto, Londrina, Brasília e Belo Horizonte), bem como realizou temporadas em teatros de notável importância histórica, como o SESC Anchieta, o SESC Pompéia e o SESI Vila Leopoldina (SP) e o Teatro Alterosa (BH).

Comentários encerrados.