II Semana de Letras promove saberes linguísticos e relatos de oralidades internacionais

Abertura da II Semana de Letras da Unilab

“Saberes da Licenciatura em Letras e políticas de interiorização e internacionalização do ensino público” foi o tema abordado na segunda edição da Semana Internacional de Letras com abertura nesta terça-feira (18), no Campus da Liberdade, em Redenção/CE.

Estiveram presentes na abertura da conferência o Reitor pro tempore Anastácio Queiroz, a pró-reitora de graduação, Andrea Linardi, a pró-reitora de extensão, arte e cultura (Proex), Rafaella Pessoa, o diretor do Instituto de Humanidades e Letras (IHL), Maurílio Machado, a coordenadora do Curso de Letras e representante da organização do evento, Cláudia Carioca.

“Unilab: uma universidade federal com nome grande, mas com uma sigla significativa, reconhecida como um laboratório de aprendizagem”, declarou o reitor abrindo os trabalhos, Anastácio Queiroz.

A pró-reitora da Proex, Rafaella Pessoa fez o lançamento do II Festival de Culturas da Unilab, com o tema “Artes da Terra”, previsto para realização no período de 18 a 21 de julho. Na última edição aconteceram diversas atividades entre mini-cursos, 20 oficinas, 4 rodas de conversas, dois encontros, lançamentos de livros, 44 apresentações artísticas, entre música e dança, 07 seminários, uma mostra de cinema, uma mostra de teatro e duas exposições visuais. Durante a II Semana de Letras e da ação “Bienal fora da Bienal” vão acontecer algumas apresentações e palestras relacionadas ao Pré-Festival da Culturas da Unilab.

Apresentação no I Festival das Cultura do grupo de dança popular da UFC, Oré Anacã

Na conferência de abertura, o pesquisador indiano e professor Kanavillil Rajagopalan, na área de semântica e pragmática das Línguas Naturais da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) apresentou o tema “Ensino de Letras num mundo em crise” para uma plateia expressiva e participativa às intervenções do mestre sobre as vivências cotidianas quanto a intervenção das tecnologias da globalização nas formas linguísticas orais e escritas.

Professor Kanavillil Rajagopalan

O evento desenvolve atividades até quinta-feira (20), abordando a importância das licenciaturas e dos saberes como atividade prática na formação de um profissional adequado, além discutir temas nas áreas de Educação, Linguística e Literatura com apresentação de grupos de debates (GDs), conferências, mesas-redondas, realização de minicursos, oficinas, mostra de banners e apresentação de grupos de trabalhos (GTs).

Segundo dados da coordenação do curso de Letras-Língua Portuguesa, vinculado ao IHL, este ano, a participação dos inscritos foi representativa, ultrapassando os 300 participantes procedentes de diferentes lugares e instituições de ensino, entre elas a Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará, a Universidade do Vale do Acaraú (UVA), das unidades do Campus Sobral e do Maciço de Baturité e outras instituições, além de 120 apresentações de trabalhos, e, aproximadamente 60 componentes da comissão organizadora, entre docentes, discentes e comunidade, mais de uma dezena de grupos de debate e de trabalho, organizados pelos discentes do curso de Letras da Unilab.

Exposição de obras literárias de diferentes áreas e linhas de pesquisa.

Para Suzana Ribeiro, estudante do curso de Letras – licenciatura em língua inglesa da UFCG, a participação neste segundo momento foi ampliada junto aos seus 22 colegas, todos com trabalhos publicados em áreas diversas para apresentar, deixando a muito orgulhosa de sua instituição. “A oportunidade de compartilhar saberes neste espaço tão jovem que nos impressionou diante da qualidade dos palestrantes e da programação”, relatou Suzana.

Neste segundo dia, a professora doutora Moema Augel, da Universidade de Bielefeld/Alemanha, pesquisadora das literaturas africanas e brasileiras traz, pela primeira vez à Unilab, suas interpretações fundamentadas em suas experiências, pesquisas e obras publicadas.

A II Semana de Letras abriu espaço para apresentação de outros pesquisadores na ação “Bienal fora da Bienal 2017”, que faz parte do evento da XII Bienal Internacional do Livro do Ceará, da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), com o “Encontro Oralidades & Escritas em Língua Portuguesa”, promovido pela Pró-Reitoria de Extensão, Arte e Cultura (Proex), um evento integrado para enriquecer a explanação dos temas em destaques.

Comentários encerrados.