Palestra no Campus dos Malês discute racismos nas Américas em perspectiva transnacional

Erica Brasil: professor adjunto de História da América da Unilab.

Erica Brasil: professor de História da América da Unilab.

Acontece na próxima quarta-feira (07), no Auditório do Campus dos Malês, em São Francisco do Conde/BA, a partir das 14h, a palestra “Carnavais, cidadania e racismos nas Américas em perspectiva transnacional”.

A palestra, que será ministrada pelo professor Eric Brasil e dará certificado aos participantes, tem organização dos seguintes grupos de pesquisa:

– História da África e da Diáspora Africana nas Américas

– Representações e Práticas Históricas das Ilhas Lusófonas na África e na Baía de todos os Santos-BA

“Essa palestra busca apresentar os resultados gerais de minha tese de doutorado, “Carnavais atlânticos: cidadania e cultura negra no pós-abolição. Rio de Janeiro e Port-of-Spain, Trinidad (1838-1920)”. Esta teve como objetivo principal analisar transnacionalmente experiências de mobilização negra através dos carnavais das cidades do Rio de Janeiro e de Port-of-Spain, Trinidad entre 1838 e 1920”, explica Eric Brasil.

Desta forma, o palestrante busca compreender a atuação de sujeitos negros em sociedades tão distintas e como esses elaboraram estratégias de ação pública, de organização social e de reivindicação de direitos e cidadania no Pós-Abolição, tendo o carnaval como elemento que catalisou e potencializou essas experiências.

Assim, acrescenta Eric Brasil: “A pesquisa esteve preocupada em refletir sobre termos de cidadania e cultura negra num contexto urbano influenciado pela diáspora africana, pela abolição da escravidão e pelo racismo. Para tanto, foram utilizadas fontes diversas referentes às duas cidades. No Rio de Janeiro pesquisei os periódicos preservados na Biblioteca Nacional, a documentação policial e de outros órgãos oficiais no Arquivo Nacional, os Diários Oficiais da União, além da vasta produção de memorialistas, folcloristas e historiadores. Para Port-of-Spain, as fontes primárias analisadas foram aquelas arquivadas na British Library e no National Archives em Londres, Inglaterra. Assim como no Rio, memorialistas, folcloristas e a produção historiográfica foram fundamentais na pesquisa”

Sobre o palestrante

Professor adjunto de História da América da Universidade da Interação Internacional da Lusofonia Afro-brasileira (Unilab). Autor do livro A Corte em Festa: experiências negras em carnavais do Rio de Janeiro (1879-1888); (Editora Prismas, 2016). Doutor pelo Programa de Pós-graduação em História Social da Universidade Federal Fluminense (UFF), onde estudou experiências negras nos carnavais do Rio de Janeiro e de Port-of-Spain, Trinidad, perspectiva transnacional. A pesquisa teve financiamento do CNPq, e realizou período de bolsa sanduíche na Universidade de Essex, Reino Unido, sob orientação de Matthias Röhrig Assunção. Mestre em História Social também pela UFF, com financiamento do CNPq.

A dissertação de mestrado analisou os diferentes caminhos de participação da população negra do Rio de Janeiro através das festas carnavalescas durante a última década de vigência do regime escravista. Tal dissertação, intitulada Carnavais da Abolição: Diabos e Cucumbis no Rio de Janeiro (1879 ­ 1888), conquistou o primeiro lugar no Concurso de Monografias Silvio Romero de 2011, promovido pelo Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular.

Tem experiência na área de História, com ênfase em História Social da Cultura, História do Brasil Império, História do Brasil República e o Pós-Abolição no Brasil e nas sociedades caribenhas, atuando principalmente nos seguintes temas: Carnaval, Abolição da Escravidão, Cidadania, História Transnacional, Diáspora Africana, Pós­-Abolição e Relações Raciais. Foi professor de ensino fundamental, médio e pré­-vestibular no Rio de Janeiro entre 2007 e 2016.

Comentários encerrados.