Estudantes do IDR apresentam aos agricultores do Maciço de Baturité um mapeamento do uso de agrotóxicos na região

Estudantes do IDR realizam apresentação aos agricultores do Maciço de Baturité.

Estudantes do IDR realizam apresentação aos agricultores do Maciço de Baturité.

O Grupo de Pesquisa em Topografia e Geoprocessamento (Topogeo), por meio dos estudantes da Unilab Francisca Josilene Barbosa Carneiro, Edvaldo Renner da Costa Cardoso, Francisca Jéssica Gama Pinto, Luana Martins da Silva Alexandre, Max Ferreira dos Santos, Stallone da Costa Soares, Thereza Cristina de Assis Botelho e sob a coordenação da professora do Instituto de Desenvolvimento Rural (IDR), Rafaella Nogueira, apresentou no último dia 06 de julho de 2017, na Fazenda Experimental Piroás, o Projeto de Pesquisa e Extensão “Mapeamento do uso de agrotóxicos em duas comunidades rurais do Maciço de Baturité”.

O evento proporcionou aos agricultores o conhecimento do projeto que será realizado na comunidade Piroás assim como a importância da participação da comunidade no referido projeto que poderá ser a base para o desenvolvimento de pesquisas futuras.

No segundo momento foi exposto a proposta de aplicação da cartografia social para conhecer e compreender a dinâmica da comunidade. Para tanto, os presentes foram subdivididos em grupos a fim de obter uma caracterização mais detalhada da comunidade.

Trabalho de cartografia social junto aos agricultores do Maciço de Baturité.

Trabalho de cartografia social junto aos agricultores do Maciço de Baturité.

No primeiro grupo observou-se o predomínio de agricultoras, que com base em um mapa contendo uma imagem de satélite da comunidade, impressa em tamanho A2 foram realizando marcações, com auxílio de lápis e canetas coloridas, dos locais característicos e mais importantes para a comunidade, como escolas, praças, comércio, estradas, casas, etc., enquanto as crianças e adolescentes se reuniram em dois grupos diferentes para desenhar suas casas. O outro grupo de agricultores participou fazendo a delimitação em tempo real dos limites da comunidade na imagem do Google Earth projetada.

“Com a aplicação da cartografia social foi possível estimular a participação dos agricultores de Piroás agregando o saber local a partir da demarcação dos limites dessa comunidade e pontos importantes como áreas de nascente, lagos, rios, açudes, casas, solo, vegetação, escolas, igrejas, praças, postos de saúde e estradas, com o conhecimento científico para melhor compreender a dinâmica da comunidade de Piroás”, explicou a equipe.

Projeto de extensão que envolve estudantes da Unilab e agricultores da região do Maciço.

Projeto de extensão que envolve estudantes da Unilab e agricultores da região do Maciço.

Assim, a equipe do projeto irá percorrer os pontos citados pelos agricultores para realizar o mapeamento da comunidade, registrando as coordenadas geográficas dos locais indicados, bem como os defensivos agrícolas que estão sendo utilizados pelos agricultores.

“O desenvolvimento desta pesquisa é de fundamental importância na identificação e localização dos defensivos agrícolas que estão sendo utilizados para geração de informações que irão subsidiar a tomada de decisão e projetos futuros quanto a conscientização sobre o impacto do uso de defensivos agrícolas na saúde e no meio ambiente”, disse a professora Rafaella Nogueira.

Comentários encerrados.