Unilab forma 200 novos profissionais brasileiros e estrangeiros

Concludentes de 7 cursos de graduação colaram grau

Concludentes de 7 cursos de graduação colaram grau

Mais que emoção e alegria, a colação de grau de cerca de 200 concludentes de cursos de graduação da Unilab, na última sexta-feira (25), foi a coroação de um longo processo de formação científica de brasileiros e estrangeiros, em um contexto de integração de saberes e culturas. A cerimônia, que ocorreu no Campus das Auroras, em Redenção/CE, marcou a formatura da primeira turma do curso de Letras – Língua Portuguesa.

Administradores, bacharéis em Humanidades, engenheiros agrônomos, engenheiros de energias,  enfermeiros  e professores de Língua Portuguesa e de Ciências da Natureza e Matemática foram os novos profissionais que a instituição entregou à sociedade. Entre eles, 18 são do Timor-Leste, país membro da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). Eles foram prestigiados na cerimônia pelo Embaixador do país, Gregório de Sousa; o Adido da Educação, Abrão dos Santos; e o assistente do Adido de Educação, Cesaltino Ximenes.

Reitor Anastácio de Queiroz e os representantes do Timor-Leste

Participaram do evento o reitor, Anastácio Queiroz; a vice-reitora, Lorita Pagliuca; a Pró-Reitora de Graduação em exercício, Albanise Marinho; os coordenadores dos cursos, demais gestores acadêmicos e autoridades locais.

A emoção de fazer parte da Unilab esteve presente nos discursos dos oradores dos sete cursos. O pronunciamento do concludente do curso de Engenharia de Energias, Marcelo Rodrigues Pontes, destacou: “Entre os desafios, um curso novo em uma universidade nova e no interior do Ceará. O que tivemos que enfrentar traduz-se em uma elaborada engenharia reversa!”. O discente, natural de Mulungu/CE, na região do Maciço de Baturité, expressou a importância de a Unilab prover educação superior no interior do Nordeste citando Antônio Sales, autor de “Aves de Arribação”: “O sonho do nordestino humilde já não mais é alçar voos para as lonjuras do Sudeste, mas estabelecer-se em nosso torrão. Deixamos de ser aves de arribação”.

Marcelo Rodrigues Pontes, concludente do curso de Engenharia de Energias

A angolana Loias Sara Bernardo Wango, escolhida como oradora do curso de Bacharelado em Humanidades (BHU), enfatizou o processo de formação acadêmica pelo qual passaram. “A universidade não forjou em nós, formandos, somente as regras e as ferramentas para que nos tornemos profissionais na área de atuação que escolhemos. Ela forjou e fortaleceu sentimentos nobres e convicções, apurou nossa visão crítica, delineou novos caminhos, mas, acima de tudo, reafirmou e fortaleceu o sentimento de que o conhecimento é uma forma de poder incontestável”, disse.

Metade das vagas de graduação são ofertadas para candidatos de países de Língua Oficial Portuguesa

Metade das vagas de graduação são ofertadas para candidatos de países de Língua Oficial Portuguesa

Entre os concludentes das licenciaturas, a oradora da turma do curso de Ciências da Natureza e Matemática, Verdiana Torres da Silva, destacou a importância do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid). “Somos gratos por participar de um programa que foi um aporte necessário na decisão de ser professor. Por que Ciências da Natureza e Matemática? Porque os nossos alunos merecem professores capacitados em diversas áreas”, afirmou. O Pibid oferece bolsas a estudantes de cursos presenciais que se dediquem ao estágio em escolas públicas com o intuito de que, quando graduados, se comprometam com o exercício do magistério na rede pública.


Formação científica e a articulação com as comunidades locais

Segundo dados do Relatório de Bolsas 2011 a 2017, produzido pela Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (Proppg), a Unilab já ofertou 586 bolsas de Iniciação a Pesquisa, financiadas pela própria instituição, pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e pela Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap). O Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (Pibic) visa apoiar a política de Iniciação Científica desenvolvida nas Instituições de Ensino e/ou Pesquisa, por meio da concessão de bolsas a estudantes de graduação integrados na pesquisa científica.

Ex-bolsista do Pibic, Gleiciane Gomes, concludente do curso de Enfermagem, apresentou em seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) a pesquisa “Construção de uma tecnologia assistiva para pessoa com deficiência auditiva sobre sexualidade e prevenção às infecções sexualmente transmissíveis (IST)”. O estudo, que teve orientação da professora Paula Marciana de Oliveira, do Instituto de Ciências da Saúde (ICS), discutiu a produção de videoaulas com acessibilidade abordando saúde sexual e reprodutiva.

Gleiciane Gomes, concludente do curso de Enfermagem

Já o artigo científico “Variação linguística: das discussões acadêmicas aos livros didáticos”, do concludente Evilasio Silva, ex-aluno do Programa de Educação Tutorial (PET), fez a análise dos livros didáticos de língua portuguesa da coleção “Língua Portuguesa: Linguagem e interação”, de Faraco, Moura e Maruxo Júnior (2010), utilizados em escola de Ensino Médio do município de Redenção-CE, que abordam o fenômeno da variação linguística. A pesquisa teve a orientação da professora Léia Cruz de Menezes, do Instituto de Humanidades e Letras (IHL) e foi publicada na Revista acadêmica e científica “Ao Pé da Letra”, periódico dos alunos da Graduação em Letras do Departamento de Letras da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), a qual recebeu a qualificação (2016-2017) de Qualis Letra/Linguística: B2.

Evilasio Silva, formando do curso de Letras - Língua Portuguesa, e a coordenadora do curso, professora Cláudia Carioca

Evilasio Silva, formando do curso de Letras – Língua Portuguesa, e a coordenadora do curso, professora Cláudia Carioca

A concludente Cilmara Talyne Costa, filha de agricultores da zonal rural do distrito de Antônio Diogo, em Redenção/CE, trouxe a pesquisa “Milho Crioulo para o desenvolvimento de minimilho em conserva”, sob a orientação dos professores do Instituto de Desenvolvimento Rural (IDR), Ana Carolina da Silva Pereira (orientadora) e Lucas Nunes da Luz (co-orientador). Sua pesquisa discutiu sobre a maior rentabilidade para a cultura do milho em pequenas áreas, trazendo como alternativa o cultivo de milhos especiais, como o minimilho, definido como uma espiga imatura ainda não fertilizada, colhida antes da formação dos grãos, sendo, nestes casos, considerado uma hortaliça. O experimento foi instalado na Fazenda Experimental Piroás, da Unilab, localizada no distrito de Barra Nova, em Redenção-CE.

Cilmara Costa, concludente do curso de Agronomia

 

Comentários encerrados.