VI Congresso Baiano de Pesquisadores Negros começa hoje (20) com parceria da Unilab

Tem início hoje (20) a sexta edição do Congresso Baiano de Pesquisadores Negros (CBPN), desta vez realizado na Universidade Federal do Sul da Bahia, Campus Sosígenes Costa, em Porto Seguro. O evento acontece a cada dois anos, em cidades e universidades diferentes e, pela segunda vez, tem a participação da Unilab como instituto parceiro.

Entre monitores, ouvintes e participantes com apresentação de trabalhos, 33 estudantes da Unilab representarão a universidade ao longo de três dias de evento. O VI CBPN tem o objetivo de contribuir para a retirada da população negra das regiões de invisibilidade no sul da Bahia, fomentando atividades que descortinem e problematizem suas histórias, memórias, culturas, artes, saberes e reivindicações.

“Nestas regiões, as populações negras se confundem com as populações indígenas e ambas compartilham os piores índices sociais. Os entraves advindos do pós-abolição no Brasil para a conquista da cidadania, tais como o acesso à educação, moradia, saúde, terra, trabalho, bem-estar social, se confirmam na Bahia”, justifica a organização do evento. Diante disso, a proposta é promover diálogos entre universidade e sociedade, buscando melhor compreender as condições em que vive a população negra-mestiça, com base nos relatos, experiências dos sujeitos e pesquisa-ação.

O congresso é promovido pela Associação de Pesquisadores Negros da Bahia (APNB), pelo Programa de Mestrado Profissional em Ensino e Relações Étnico-Raciais (PPGER/UFSB), pelo Núcleo de Estudos Afro-brasileiros da UFSB, pelo Programa Multidisciplinar em Estudos Étnicos e Africanos da Universidade Federal da Bahia (Pós-Afro/UFBA) e, por fim, pelo Órgão de Educação e Relações Étnicas da Universidade Federal do Sudoeste da Bahia (ODEERE/UESB).

Fazem parte da Comissão Organizadora os professores da Unilab Bas’ilele Malomalo, Eduardo Antônio Estevam Santos e Fábia Barbosa Ribeiro, esta diretora do Campus dos Malês, em São Francisco do Conde/BA. Além destes, integram o Comitê Científico os professores da Unilab Juliana Barreto Farias e Márcio André de Oliveira Santos.

A participação da Unilab chega aos Grupos de Trabalhos (GTs), com a presença da professora Juliana Farias entre as coordenadoras do GT “Interseccionalidades de raça, gênero e classe”. O grupo visa à criação de um espaço de reflexão em torno de trabalhos que discutam gênero, discurso feminista, raca e etnicidade, e suas influências na configuração dos padrões de participação dos sujeitos na sociedade.

Clique aqui para conferir a programação completa. Para outras informações sobre o VI Congresso Baiano de Pesquisadores Negros, acesso o site do evento.

Comentários encerrados.