Projeto de Extensão “Bota a Fala” participa de programa em rede nacional

No próximo domingo (10), parte do Projeto de Extensão Bota a Fala, coordenado pelo professor Marcos Carvalho Lopes, fará uma participação no programa “Lazinho com Você”, da Rede Globo. O convite surgiu devido à composição da música “Africar”, feita pelo grupo em resposta a um dos desafios propostos pela produção do programa. A ideia era escrever uma canção dançante sobre criatividade.

No segundo semestre deste ano, o grupo gravou, de modo caseiro, duas canções para o programa, apresentado por Lázaro Ramos. Uma delas, “Africar”, foi a escolhida. Na composição, Eugênio “Mente Criativa” Evandeco gravou, mixou e fez o beat, a brasileira Juciane Aparecida da Silva e a guineense Patrícia Nzalé deram voz à canção, S_many Ba entrou com o rap, Magno da Costa fez a letra e Marcos Carvalho Lopes coordenou a equipe. “Africar é verbo criativo, para fazer você dançar, religar todos os sentidos, sintonizando-se com o ritmo que nos leva para a África”, explica o coordenador do projeto, que contribuiu com alguns versos da composição.

O trabalho desenvolvido pelo Bota a Fala tem alcançado uma repercussão dentro e fora da Unilab, com a publicação de um artigo acadêmico sobre a experiência do grupo e participação em eventos, em universidades baianas. “A recepção positiva das performances gerou convites para apresentações fora da Unilab, em escolas, eventos de hip hop, etc. Mas as letras que falam da Unilab, da integração dos países na proposta dessa universidade, do preconceito e da necessidade de autoafirmação racial chamaram a atenção também fora das universidades. O exemplo maior disso é que, com apenas duas canções gravadas, o grupo foi mote para uma entrevista no programa Conversa com Bial”, relembrou Marcos Carvalho Lopes.

Sobre o Projeto

O Bota a Fala é um projeto de pesquisa educacional baseado nas artes, que utiliza o hip hop como linguagem para compor uma educação democrática. Desenvolvido por estudantes do Campus dos Malês, em São Francisco do Conde/BA, o projeto procura dar voz e debater questões raciais, questionar estereótipos de gênero, pensar as relações entre educação estética e autocriação ética, valorizando os múltiplos letramentos potencializados pelo hip hop e novas tecnologias educacionais, mais especificamente o podcast “Vozes da Unilab”, criado em 2016. Com estas duas iniciativas, o projeto multiplica a possibilidade de dar voz e ouvir os estudantes e comunidade universitária.

Recentemente, o grupo foi entrevistado pelo “Vozes da Unilab”. A entrevista, em duas partes, está disponível nos links: Parte 1 e Parte 2.

Comentários encerrados.