Comitê Gestor de Direitos Humanos da Unilab comemora o 1º ano do Pacto

Nesta semana, dias 5 e 6, a Unilab participou do Encontro de Um Ano do Pacto Universitário de Educação em Direitos Humanos, organizado pelo Ministério da Educação (MEC) e foi representada pela professora do Instituto de Humanidades e Letras (IHL) e coordenadora do Comitê Gestor em Direitos Humanos da Unilab, Violeta Holanda. O evento aconteceu no auditório da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), em Brasília/DF, em comemoração ao primeiro ano de implementação do Pacto Universitário de Educação em Direitos Humanos.

Participaram do evento outras 300 instituições em comemorou ao primeiro ano de implementação do Pacto Universitário pela Promoção do Respeito à Diversidade, da Cultura da Paz e do Direitos Humanos. O grupo conta atualmente, mais de 320 IES, dentre universidades públicas, privadas, comunitárias e Institutos Federais. Destas, aproximadamente 60 estão em fase de formação do Comitê Gestor. Cerca de 80 IES estão na fase de elaboração do Plano de Trabalho. O Plano de Trabalho, por sua vez, já foi elaborado por quase 180 Universidades, Centros Universitários, Faculdades e Institutos.

Durante o evento foram apresentados os planos de trabalho já elaborados das instituições que participam do grupo de acordo com suas identidades e possibilidades institucionais, de forma dinâmica e participativa, as iniciativas em educação em direitos humanos e a troca de experiências relativas aos cinco eixos – Ensino, Pesquisa, Extensão, Gestão e Convivência – do Pacto. Com isto, o encontro proporcionou o aprofundamento da temática de educação em direitos humanos no âmbito da educação superior, contribuindo para o aprimoramento das ações no âmbito do MEC e das IES.

O objetivo do evento foi fortalecer os comitês institucionalmente, enquanto rede nacional de promoção a educação em direitos humanos, e enfrentamento de suas violações, no âmbito acadêmico e comunitário. Segundo a coordenadora Violeta Holanda, “foi um momento rico de troca de experiências, onde foi possível perceber o potencial de atuação e articulação em ações educativas de direitos humanos, que já são desenvolvidas historicamente em nossas universidades, ou que poderão ainda ser estimuladas a acontecer”.

Como uma das deliberações, o grupo aprovou a Moção de Apoio a aprovação do Estatuto da Unilab que ainda se encontra no MEC.

Comentários encerrados.