Pró-Reitoria de Relações Institucionais tem novo gestor

(esq. p/ dir.) Reitor Anastácio Queiroz; vice-reitora, Lorita Pagliuca; novo pró-reitor de Relações Institucionais, Max Araújo; ex-pró-reitor da pasta, Edson Borges

(esq. p/ dir.) Reitor Anastácio Queiroz; vice-reitora, Lorita Pagliuca; novo pró-reitor de Relações Institucionais, Max Araújo; ex-pró-reitor da pasta, Edson Borges

A Pró-Reitoria de Relações Institucionais (Proinst) tem novo titular, o professor do Instituto de Desenvolvimento Rural (IDR), Max César de Araújo. Durante quase quatro anos, a pasta esteve sob a gestão do professor do Instituto de Humanidades e Letras (IHL), Edson Borges.

O novo pró-reitor de Relações Institucionais é engenheiro agrícola com doutorado na área de máquinas agrícolas. Passou por outras universidades federais, como a Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e a Universidade Federal do Piauí (UFPI) até ser redistribuído para a Unilab. É docente do IDR desde 2012 e esteve à frente da gestão da Fazenda Experimental Piroás (FEP) da Unilab por dois anos.

“Conseguimos construir uma relação positiva entre as várias pró-reitorias da instituição. São muitos os desafios, mas precisamos trabalhar mais as ações de internacionalização”, afirmou o novo pró-reitor.

As ações desenvolvidas pela pasta visam o fortalecimento da relação da Unilab com outras instituições, em âmbito nacional e internacional, lidando com estabelecimento de parcerias e acordos de cooperação, mobilidade acadêmica, desenvolvimento de projetos temáticos interinstitucionais, missões internacionais, projetos em rede, certificação por meio do Núcleo Idiomas sem Fronteiras e ações que envolvem cooperação solidária e interculturalidade. A pró-reitoria também presta apoio aos estudantes estrangeiros, desde a documentação que assegure sua estadia regularizada no Brasil até o acompanhamento de casos mais contundentes em que estejam envolvidos.

Atua ainda como catalisador na divulgação da Unilab junto a outras instituições e em espaços estratégicos. Max cita como exemplo o projeto “Fortalecimento do Ensino, Pesquisa e Extensão para a Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional na CPLP e na Unilab”, coordenado pela professora Jaqueline Sgarbi Santos (IDR/Unilab-CE) e pelo professor Pedro Acosta Leyva (IHL/Unilab-BA), com apoio do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações e da Fundação Cearense de Pesquisa e Cultura (FCPC). Com esta ação, os docentes representaram a Unilab nesta semana na Reunião de Alto Nível sobre Agricultura Familiar e Desenvolvimento Sustentável da CPLP, em Lisboa, Portugal.

I Reunião Técnica Internacional da Ripes reuniu em Fortaleza e Redenção representantes de países da CPLP, em maio de 2014

Edson Borges relata que, durante sua gestão, a Proinst buscou apoio para se tornar uma unidade mais política, menos burocrática, envolvida significativamente com a comunidade externa e desenvolvendo o que ele chama de os três “Is” que resumem a atuação da Unilab: Integração, Interiorização e Internacionalização.

Segundo Edson Borges, a necessidade surgiu para fomentar a aproximação da gestão superior com os estudantes e com a comunidade em geral, principalmente os estrangeiros. Uma ação significativa foi a de contribuir com a Pró-Reitoria de Graduação na organização das provas do Processo Seletivo de Estudantes Estrangeiros (PSEE) junto aos países envolvidos. Outra ação importante foi a articulação para que fossem instituídas associações de estudantes, em especial entre os de nacionalidade estrangeira, a fim de promover a representação política e das necessidades de cada grupo frente aos órgãos da universidade, além da promoção cultural e artística. Ele explica que a representação das associações difere do Diretório Central Estudantil (DCE) e dos Centros Acadêmicos dos cursos da Unilab.

No contexto de ações externas, segundo o ex-gestor, a Proinst realizou o trabalho de articulação com as prefeituras da região do Maciço de Baturité, tendo em vista o desenvolvimento da região. “A Proinst necessita de uma política intensa de interiorização sem deixar os pilares da internacionalização com enquadramento de ações políticas”, concluiu Borges.

Ao longo dos três últimos anos, foram estabelecidos 119 vínculos de cooperação entre a Unilab e outras instituições nacionais e internacionais: Brasil (55 de Cooperação Geral e 30 de Estágio); Angola (05); Argentina (01); Cabo Verde (06); China (01); Colômbia (01); Espanha (02); Índia (01); Moçambique (04); Portugal (09); São Tomé e Príncipe (02); e Timor-Leste (02).

A Proinst também promove ou tem representado a Unilab em encontros estratégicos, a exemplo das reuniões técnicas da Rede de Instituições Públicas de Educação Superior (Ripes), tendo esta Edson Borges como coordenador.

 

Comentários encerrados.