Egresso da Unilab apresenta estudo sobre máquinas de moer cana-de-açúcar em Cabo Verde ao Ministro da Cultura e das Indústrias Criativas do país

Egresso da Unilab Alexandrino Moreira e o ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente. Foto: Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas de Cabo Verde.

O cabo-verdiano Alexandrino Moreira Lopes concluiu, no último semestre, o curso de Ciências da Natureza, com habilitação em Física, pela Unilab. Nesta segunda-feira (5), o jovem apresentou os resultados de seu trabalho de conclusão de curso (TCC) ao ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente. A pesquisa de Alexandrino versa sobre a etnociência, com um cunho inédito sobre os trapiches – tradicionais máquinas de moer cana-de-açúcar – de Cabo Verde e a sua catalogação.

O pesquisador explicou que a engenharia envolvida na construção dos trapiches utiliza técnicas aplicadas à Física e também o conhecimento adquirido pelo próprio povo, ao que o ministro o incentivar a continuar a pesquisa na área.

A pesquisa realizada por Alexandrino teve como título “Física no trapitxi: etnociência e transposição didática para uma nova abordagem no processo de ensino aprendizagem”, orientada pelo professor João Philipe Macedo e coorientado por Elcimar Simão. Antes disso, o estudante havia participado, como bolsista, do projeto de extensão “Ubudehe: Juventude, diáspora e educação das relações étnico-raciais em movimento”.

Alexandrino apresenta pesquisa desenvolvida em seu trabalho de conclusão de curso (TCC) no curso de Ciências da Natureza e Matemática, com habilitação em Física, na Unilab. Foto: Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas de Cabo Verde.

Sobre trapiches, Física e etnociência

Trapitxi é uma máquina semi-industrial utilizada para moer cana-de-açúcar no processo de fabricação de grogu (aguardente de cana-de-açúcar) em Cabo Verde. Por seu percurso histórico, que começa com a comercialização de homens escravizados na Ribeira Grande de Santiago, precisamente na Cidade Velha, na ilha de Santiago, tornou-se um patrimônio material do país. Voltado para o estudo da etnociência, a pesquisa de Alexandrino investiga os conceitos físicos no trapitxi durante o seu movimento, na perspectiva de fortalecer o processo de ensino e aprendizagem, transpondo a didática eurocêntrica para criar novas possibilidades ao ensino secundário em Cabo Verde.

O estudante realizou pesquisa de campo num espaço com trapitxi em Cidade Velha. Todas as peças da máquina foram medidas e analisadas manualmente; foram feitos registros fotográficos e realizada entrevista com o proprietário do espaço. A partir do que foi observado, elaborou roteiro para uma aula experimental de Física baseado no comportamento do trapitxi durante o seu funcionamento e também catalogou a máquina por completo, com a descrição de todas as suas peças.

“Com a aplicação dos conhecimentos físicos, pode-se analisar a eficiência da máquina, aumentando o seu desempenho, fazendo com que a mesma realize melhor o seu trabalho. Já no processo de ensino e aprendizagem, ao desenvolver esse pensamento fortalece-se o processo de interdisciplinaridade, além de preservar a história e a cultura do povo cabo-verdiano”, arrematou.

Comentários encerrados.