Projeto promove visita a comunidade agroflorestal do Riacho do Meio/CE

Intercâmbio de experiência entre agricultores, docentes e estudantes do Curso de Agronomia da Unilab

A ação do curso de Agronomia da Unilab, vinculado ao Instituto de Desenvolvimento Rural (IDR), promoveu, no final do mês março, à visita de intercâmbio e troca de experiências entre duas professoras do IDR e quatro estudantes do curso de Agronomia, além de 17 agricultores da Comunidade de Umari, do município de Pacajus/CE, junto a experiência agroecológica da Associação Comunitária de Agricultores e Agricultoras Rurais do Riacho do Meio, no município de Choró/CE

A visita é parte das ações do projeto de extensão “Desenvolvimento participativo de sistema agroflorestal: alternativa para produção sustentável da agricultura familiar”, coordenado pela professora do IDR, Maria Ivanilda de Aguiar. O projeto busca promover a troca de experiência entre agricultores por meio de visitas às áreas produtivas e a atividade de rodas de conversas sobre a transição para formas de cultivo conservacionistas e agrobiodiversos.

A troca de experiência
Antes da visita, os agricultores de Umari destacaram suas expectativas com a atividade, enfatizando o desejo de vivenciar novas práticas para agregar conhecimento, sobretudo o cultivo sem uso de agrotóxicos e inseticidas.

Foto: Maria Aguiar | Plantação e cultivo de grãos na Comunidade do Riacho do Meio/CE

Na localidade de Riacho do Meio/CE, situado a 7km da cidade de Barbalha, na CE-060, os agricultores de Umari foram recebidos pelo presidente da associação, João Félix, que trabalha há 14 anos com agroecologia, e o historiador e agricultor Raimundo. Para João Félix, “a experiência da associação é bastante conhecida no Ceará e até no exterior, pelo cultivo do algodão em consórcios agroecológicos”, declarou.

O agricultor Raimundo, graduado em História e Pós-graduado em Gestão Escolar, e um dos mais novos membros da associação, realiza suas atividades no campo para dar continuidade a prática da agricultura já desenvolvida por seu pai e familiares.

As visitas
A visita as áreas de produção foi guiada pelo agricultor, João Félix. Uma das áreas visitadas foi o consórcio de algodão, milho, gergelim e feijão, do historiador e agora agricultor, Raimundo. O destaque ficou a cargo da explicação da importância do consórcio, principalmente quanto ao manejo de pragas, além portância de conviver com a praga e cuidado com o cultivo aos agricultores de Umari.

Foto: Maria Aguiar | Visita à área de consórcio agroecológico no Riacho do Meio/CE.

Outra visita ocorreu na área agrícola de João Félix para apresentação do plantio do algodão em sistema agroflorestal, com espécies nativas do bioma caatinga, forrageiras (Palma e gliricídia) e frutíferas.

Além das áreas de produção, foram visitadas: a mini fábrica de beneficiamento do gergelim e a casa de sementes. A casa de processamento do gergelim, foi o projeto criado pelos jovens, mediante a necessidade que os jovens da comunidade tinham de se ocupar e como forma de evitar a saída deles para a cidade. Eles produzem diversos produtos a base de gergelim, como o óleo, paçoca e torta para alimentação, por exemplo.

Foto: Maria Aguiar | Visita a mini fábrica de beneficiamento de gergelim, Riacho do Meio/CE.

A casa de sementes contém variedades distintas de milho, feijão caupi, arroz, gergelim, entre outras sementes e grãos. Dentre as curiosidades, foi dado importância ao cultivo do cereal “milho vermelho” que tem cerca de 150 anos encontrado na comunidade. Este banco de grãos é usado pelos agricultores da região para fazer seus plantios e realizam também trocas de sementes em feiras.

Os trabalhos foram concluídos com a atividade de roda de conversa para expor a história da comunidade, as experiências adquiridas, o aprendizado, ao longo do período do cultivo e manuseio dos grãos e sementes e tirar dúvidas quanto aos produtos agrícolas e insumos e os cuidados com a produção agroflorestal e uso de agroquímicos.

Foto: Maria Aguiar | Roda de conversa com troca de experiências.

Ao final, houve o momento de avaliação da visita, considerada proveitosa pelo grupo e também pelos agricultores da localidade do Riacho do Meio. “A participação dos professores e técnicos é muito importante. Contudo, o mais importante ainda é que os agricultores sejam experimentadores, pois são eles que estão no dia-a-dia do campo e isso devem encontrar suas próprias formas de praticar a agricultura”, concluiu o presidente da Associação Comunitária de Agricultores e Agricultoras Rurais do Riacho do Meio, no município de Choró/CE, João Feliz.

“Exemplos como reaproveitamento, valorização dos jovens e sua inclusão nas atividades da comunidade, a organização e confiança entre os membros da associação”, essa foi a experiência que a estudante de Agronomia da Unilab, Rosemery relatou quanto a visita.

Sobre o projeto
Segundo a professora e coordenadora do projeto, Maria Ivanilda, a atuação da Unilab junto à Comunidade de Umari/CE iniciou-se em 2016, por meio das disciplinas de Práticas Agrícolas do curso de Agronomia da universidade. A realização destas disciplinas na comunidade continuaram até o final de 2017. Durante este período, vários trabalhos e dois Trabalhos de Conclusão de Curso (TCCs) foram desenvolvidos na comunidade.

Em setembro 2017, o relato de experiência “Práticas Agrícolas no curso de Agronomia da Unilab: uma experiência na comunidade de Umari, Pacajus-CE”, que contou a vivência desses dois anos da presença do curso de agronomia na comunidade foi um dos escolhidos para ser apresentado de forma oral no 6º Congresso Latino Americano e o X Congresso Brasileiro de Agroecologia. Neste semestre, a continuidade da presença da Unilab acontece por meio de projetos de extensão e possibilidade de novos TCCs.

Comentários encerrados.