Unilab tem parceria com governo do Estado e inaugura projeto de reflorestamento e Unidade de Produção de Mudas de Auroras

Reitor da Unilab, Anastácio de Queiroz, secretário de Meio Ambiente, Artur Bruno, e profissionais da Sema durante inauguração da Unidade de Produção de Mudas de Auroras. Foto: Ivan Freire.

A Unilab participou, na última sexta-feira (30), da entrega do plantio de 25 hectares, no Sítio Campo do Batalha, em Guaramiranga/CE, por ocasião do Projeto de Florestamento, Reflorestamento e Educação Ambiental na Bacia Hidrográfica do Rio Pacoti. Em seguida, ocorreu a inauguração da Unidade de Produção de Mudas Nativas das Auroras, localizada no Campus das Auroras, em Redenção/CE.

Os projetos são fruto de cooperação técnica, via termo de cooperação, entre a Unilab e a Secretaria de Meio Ambiente do Ceará (Sema). A universidade tem assento, desde 2015, no Grupo de Trabalho de Florestamento e Reflorestamento e Educação Ambiental do Governo do Estado do Ceará.

O plantio de 25 hectares no Sítio do Campo do Batalha tem financiamento da Sema e integra o Programa Ceará Mais Verde, constituindo uma das ações da Sema para recuperação de áreas degradadas e ampliação de área florestada do estado. A Bacia do Rio Pacoti será contemplada com o plantio de 30 mil mudas da flora nativa, com a recuperação de 25 hectares de nascentes entre Pacoti e Guaramiranga e 7 hectares em Redenção, topos de morros e instalação da Unidade de Produção de Mudas de Auroras, na Unilab.

Estudantes de Guaramiranga e Pacoti apresentaram-se em coral durante a entrega do plantio de 25 hectares, no Sítio Campo do Batalha. Foto: Assecom/Unilab.

Foram anunciados ainda, no local, a criação do Primeiro Refúgio da Vida Silvestre, com o apoio da ONG Aquasis – para a preservação do periquito da cara suja, ameaçado de extinção – e a construção da sede do Batalhão de Polícia Militar Ambiental.

Reitor da Unilab, Anastácio de Queiroz ressaltou a importância da parceria para o desenvolvimento da universidade. “A Unilab se sente muito honrada, nós enriquecemos como instituição e fortalecemos a atuação em ensino, pesquisa e extensão, áreas em que atuamos com muita ênfase”, disse. O reitor elogiou a participação de crianças e adolescentes dos municípios de Pacoti e Guaramiranga e salientou a necessidade de incluir as escolas, expandindo a educação ambiental, inclusive com atividades práticas.

Anastácio de Queiroz ressaltou a importância da parceria para o desenvolvimento da universidade. Foto: Assecom/Unilab.

O Rio Pacoti faz parte da Bacia Hidrográfica da Região Metropolitana de Fortaleza e por muito tempo foi o responsável pelo abastecimento da capital cearense. O rio nasce em Guaramiranga e Pacoti e se estende pelos municípios de Acarape, Redenção, Eusébio e Aquiraz.

Participaram ainda da solenidade o secretário de Meio Ambiente, Artur Bruno; representantes das prefeituras de Guaramiranga e Pacoti; da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa); da Universidade Estadual do Ceará (Uece); da Câmara Municipal de Guaramiranga; da ONG Aquasis e o tenente-coronel Ricardo Jorge Mota, do Batalhão de Polícia Militar Ambiental.

Unidade de Produção de Mudas Auroras

Da esquerda para a direita: pró-reitor de Relações Institucionais, Max de Araújo; reitor da Unilab, Anastácio de Queiroz; e professor Gustavo Chaves durante o “Pacto Ambiental”, com plantio de muda de xixá, na inauguração da Unidade de Produção de Mudas Auroras. Foto: Assecom/Unilab.

A Unidade de Produção de Mudas (UPM) de Auroras dará suporte a atividades voltadas à recuperação de áreas degradadas, tendo a guarda temporária das mudas que serão utilizadas nas ações de florestamento e reflorestamento. “O governo e a sociedade civil têm uma demanda e a academia tem o suporte científico, de desenvolvimento técnico”, sublinha o professor do Instituto de Desenvolvimento Rural da Unilab (IDR), Luís Gustavo Chaves, que prestou assessoria técnica ao Projeto de Florestamento, Reflorestamento e Educação Ambiental na Bacia Hidrográfica do Rio Pacoti.

A UPM conta com estrutura telada com 250m², com 50% de sombreamento e cobertura difusora, capacidade de produção de cerca de 40 mil mudas ao ano, e terá monitoramento climático. Além disso, há trator, motosserras, roçadeiras e outras ferramentas, equipamentos custeados pela Sema. “As pessoas acham que é simplesmente a entrega de uma estrutura telada, mas é bem mais que isso. A Unidade de Produção de Mudas nos possibilitará avaliar áreas degradadas, propor projetos, produzir mudas, coletar e beneficiar sementes e realizar treinamento em educação ambiental”, pontuou Gustavo Chaves.

Professor Gustavo Chaves apresenta a estrutura e como será o funcionamento da Unidade de Produção de Mudas de Auroras. Foto: Assecom/Unilab.

Anastácio de Queiroz sublinhou o impulso em educação ambiental e parcerias que a iniciativa pode trazer. “O projeto importa não pelo montante de mudas, mas pelo que pode irradiar a partir daqui”, frisou.

Já o pró-reitor de Relações Institucionais, Max César de Araújo, destacou o papel social da universidade ao trabalhar com o meio ambiente. “O projeto é fundamental para a instituição e torna-se um cartão de visitas e oportunidade de firmar parcerias com mais instituições ainda. É relevante que a instituição se envolva com projetos na sociedade que a coloquem de forma positiva”, afirmou.

O secretário de Meio Ambiente, Artur Bruno, anunciou ainda a formulação de termo de compromisso com 12 municípios do Maciço de Baturité para consórcio de coleta seletiva e compostagem, além da criação de outras unidades de produção de mudas em parceria com oito prefeituras.

Comentários encerrados.