Unilab apresenta sua história em evento de Educação da Universidade de Lisboa

Foto: Prof. Joaquim Pintassilgo, orientador no pós-doutorado em História da Educação da ULisboa, ladeado pelos professores da Unilab, Salvio Melo e Roberto Kennedy.

Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) foi destaque no “Seminário/Roda de Conversa” realizado no Instituto de Educação (IE), sob a coordenação do Doutoramento em História da Educação da Escola da Universidade de Lisboa (ULisboa), em Portugal, no último dia 27 de abril.

A temática, mediada pelos professores do Instituto de Humanidades e Letras (IHL/Unilab), Roberto Kennedy Gomes Franco e Salvio Fernandes de Melo, apresentou as “Histórias e Memórias da Educação Indígena, Africana e Afro-Brasileira na formação docente da Unilab”, uma universidade federal implantada em dois estados, Ceará e Bahia, com sede administrativa no município cearense de Redenção/CE, Brasil.

Campus da Liberdade, em Redenção (CE)

Sobre a Unilab

A história da educação da Unilab é inspirada pelos princípios da integração, cooperação e interculturalidade entre o Brasil e demais países falantes da língua portuguesa, especialmente os países africanos. Nascida como instituição brasileira de caráter transnacional, a universidade está inserida no contexto de internacionalização da educação superior no Brasil. Ao mesmo tempo, também atende à meta da interiorização, ao colaborar com processos educativos de regiões carentes de Instituições de Ensino Superior, como o Maciço do Baturité no Nordeste do Brasil. A Unilab, portanto, é experiência educativa de retomada de nossas memórias indígenafricanas.

Os Mediadores da Unilab:

Roberto Kennedy Gomes Franco, historiador e professor com mestrado em Ciências da Educação pela Universidade Federal do Piauí (UFPI), além de membro do Grupo de Estudos com os Povos Indígenas (GEPI) e coordenador do Grupo de Investigação Marxista (GIM).

Foto: professores do IHL/Unilab: Salvio Melo e Roberto Kennedy

Salvio Fernandes de Melo, professor e doutor em Letras, línguas e espetáculos pela Université Paris Ouest Nanterre La Défense (Nanterre / Paris, França). Está como coordenador do projeto de extensão “Batuques, tambores e tradições: Cultura Afro-Brasileira e Educação popular” e membro do grupo de pesquisa em “Pensamento e Filosofia Africana da Unilab”.

Matérias em destaque:

Grupos de Pesquisa e Extensão ELOSS e Rede Jubra participam de Oficina de Juventudes Indígenas no Ceará

Pulsar do Bacharelado em Humanidades realiza II Seminário Humanidades: Pesquisas e Trajetórias

Comentários encerrados.