Seminário aborda os desafios para superação da violência

Em sua terceira edição, o Seminário do “Movimento Cada Viva Importa: a universidade na prevenção e enfrentamento da violência no Ceará” será realizado no dia 17 de maio. Das 15h às 22h, o evento acontece no auditório do Bloco Didático do Campus da Liberdade, em Redenção/CE.

Desta vez, o seminário terá como tema os “Desafios para superação da violência: insegurança, extermínio da juventude negra e direito à cidade”. Serão duas mesas, abertas ao público. Haverá certificação aos participantes.

Na primeira mesa (15h-17h30), “Obstáculos para a superação da violência”, estarão presentes os professores da Unilab James Moura Jr., Marcos Silva e Violeta Holanda, além de representante da Coordenadoria Especial de Políticas Públicas Para Mulheres do Governo do Estado do Ceará e representante da Associação Transmasculina do Ceará (ATRANS-CE). Sob a coordenação do professor Thiago Vasconcelos (Unilab), a mesa vai debater os aspectos nacionais, estaduais, regionais e locais relativos a problemas como violência contra mulher, homofobia e transfobia, direitos humanos e segurança pública.

Já a segunda mesa (18h30-22h) vai discutir os diagnósticos e proposições para prevenção da violência, na forma de políticas públicas, atuação intersetorial, campanhas e mobilizações sociais. Participam da mesa “Diálogos para a superação da violência”, coordenada pelo professor Eduardo Machado (Unilab), o Padre Francisco (Redenção), Benjamim Lucas, do Comitê Cearense pela Prevenção dos Homicídios na Adolescência, Margarida Marques, do Instituto Negra do Ceará (INEGRA), Anderson Duarte, do Policiais Antifascismo, e um representante de Torcida Organizada.

A atividade se articula com o 1º Ciclo de Debates em Segurança Pública, Justiça e Direitos Humanos, promovido pelo Projeto de Extensão “Envolvidos: processos participativos em segurança pública, justiça e direitos humanos”, do Grupo de Pesquisa em Segurança Pública, Justiça e Direitos Humanos (SEJUDH-Unilab).

O Seminário conta com o apoio do Curso de Extensão “Defensoras e Defensores dos Direitos à Cidadania”, promovido pelo Núcleo de Políticas de Gênero e Sexualidades e do Colegiado de Licenciatura em Sociologia da Unilab, e do Comitê Cearense pela Prevenção aos Homicídios na Adolescência, da Assembléia Legislativa do Ceará.

Sobre o Movimento Cada Vida Importa

Resultado de uma articulação de universidades cearenses para sensibilizar a comunidade acadêmica contra o extermínio da população jovem, negra e pobre das periferias do Ceará, o Movimento Cada Vida Importa conta com a adesão de 14 instituições acadêmicas no estado, além do envolvimento de vários movimentos sociais.

Além da Unilab, integram o Movimento a Universidade Federal do Ceará (UFC), a Universidade de Fortaleza (Unifor), a Universidade Estadual do Ceará (UECE), o Instituto Federal do Ceará (IFCE), o Centro Universitário Devry Fanor, o Centro Universitário 7 de Setembro, o Centro Universitário Christus, a Faculdade de Tecnologia Intensiva, o Centro Universitário Estácio do Ceará, a Universidade Regional do Cariri, a Faculdade Ateneu – Campus de Messejana, a Faculdade Farias Brito e a Faculdade Metropolitana da Grande Fortaleza.

Também fazem parte do Movimento o Comitê Cearense de Prevenção ao Assassinato de Adolescentes – Assembleia Legislativa e Defensoria Pública – Rede Acolhe, e os Coletivos: INEGRA, Rede DLIS, REAJAN, Centro Cultural do Grande Bom Jardim, Fórum DCA, CEDECA e Fórum Popular de Segurança Pública.

O engajamento é voluntário e aberto a qualquer pessoa, desde que vinculada a uma instituição acadêmica ou a um coletivo organizado.

Para conhecer mais, acesse a página do Movimento no Facebook e Instagram. E-mail para contatos, dúvidas e adesões: movimentocadavidaimporta@gmail.com

Comentários encerrados.