Unilab participa de projeto de cooperação científica internacional com o Canadá

 

Professor Washington Barros é o pesquisador que representa a Unilab na parceria com UFC, UFPI e Canadá. Foto feita durante sua posse na universidade. Foto: acervo pessoal.

A Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) participa, por meio do professor Washington Barros, químico e farmacêutico vinculado ao Instituto de Ciências da Saúde (ICS), do Programa Capes-DFATD (http://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/canada/programa-capes-dfait), que promove o apoio e o intercâmbio científico entre grupos de pesquisa brasileiros e canadenses e a mobilidade acadêmica entre os dois países.

Junto com a Universidade Federal do Ceará (UFC) e a Universidade Federal do Piauí (UFPI), a Unilab compõe o projeto “Development of liposomal formulations with anticancer therapeutic potential Brazilian lead compounds”, entre os dez projetos selecionados pela Capes-DFATD em nível nacional.

O projeto terá duração de dois anos e será executado por duas equipes de pesquisadores (brasileira e canadense), conforme resultado publicado no Diário Oficial da União, referente ao processo seletivo do programa Capes-DFATD, edital nº 34/2017.

A equipe brasileira será coordenada por Cláudia Pessoa, professora titular da UFC e pesquisadora da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz/Ceará), e envolverá os pesquisadores Washington Barros, da Unilab; Marcília da Costa, da UFPI, e Carlos Paier, da UFC.

Já a equipe canadense será coordenada pelo professor Marcel Bally, chefe de Terapêutica Avançada da Agência de Câncer de British Columbia (Vancouver, Canadá) e professor da University of British Columbia (UBC), tendo mais de 200 patentes na área de novas estratégias para o combate ao câncer usando a nanotecnologia.

Sobre a pesquisa

O projeto objetiva desenvolver nanossistemas de liberação controlada (lipossomas) de substâncias químicas antitumorais descobertas e estudadas pela equipe de pesquisadores brasileiros.

A ideia central é potencializar os efeitos anticâncer dessas moléculas, uma vez que os lipossomas têm sido descritos na literatura científica como excelentes carreadores de fármacos agregando características fundamentais para o tratamento de pacientes, como seletividade, biodisponibilidade e poucos efeitos adversos.

Entretanto, há limitações relacionadas com o desenvolvimento desses nanossistemas de liberação que precisam ser superados para que se alcance o máximo de eficiência possível. Desse modo, a cooperação internacional com a University of British Columbia (UBC, Vancouver, Canadá) torna-se fundamental e fortalecerá a pesquisa.

O professor Washington Barros, da Unilab, desenvolve pesquisas na área de oncologia experimental de novos compostos químicos (naturais e sintéticos) em modelos de câncer (in vitro e in vivo) como parte de seus estudos pré-clínicos. Participa do programa de pós-graduação em Ciências Farmacêuticas da UFC e tem acumulado experiência nos temas atividade citotóxica, antitumoral e toxicológica de novas substâncias químicas candidatas a fármacos anticâncer. Assim, desenvolve projetos de pesquisa aprovados pelo CNPq e Capes em colaboração com o Laboratório de Oncologia Experimental do Núcleo de Pesquisa e Desenvolvimento de Medicamentos da UFC.

O pesquisador cursou pós-graduação em Farmacologia na UFC, no Laboratório de Oncologia Experimental (LOE), coordenado pela professora Cláudia Pessoa, que também é a coordenadora dos pesquisadores brasileiros no projeto aprovado na Capes-DFATD, considerada referência no Brasil em pesquisa em biotecnologia para combater o câncer.

“O contato e a troca de experiência com esses pesquisadores permite que eu avance no entendimento de ferramentas capazes de agregar valor científico às moléculas identificadas com potencial antitumoral. Penso que esta experiência como pesquisador influenciará positivamente minhas atividades como docente na Unilab, uma vez que sou responsável por duas disciplinas relevantes na área da saúde, que são Bioquímica e Farmacologia. Também poderei ter novas ideias de projetos de pesquisa vinculados a essa área de pesquisa contando com a colaboração dos pesquisadores citados”, explica.

Outro ponto relevante da experiência, de acordo com Barros, será o contato com o professor Marcel Bally. A partir da troca de informações, o professor pretende implantar uma nova linha de pesquisa na Unilab. “Pretendo implantar uma linha de pesquisa relacionada com a formulação em lipossomas de novas drogas anticâncer e o contato com o Dr. Marcel e com toda a sua estrutura laboratorial no BC Cancer do Canadá será muito inspirador e proveitoso para alcançar este fim”, destaca.

Além da contribuição à ciência, o professor considera que a pesquisa permitirá fortalecer ainda mais o papel da Unilab como uma universidade internacional. “Acredito que seus docentes precisam buscar e trilhar caminhos que justifiquem essa identificação em seu nome. E o projeto aprovado pela Capes envolvendo nossa instituição é uma pequena evidência de que estamos no caminho certo”, comemora.

Programa Capes-DFATD

O programa, pela seleção de projetos conjuntos de pesquisa, tem por objetivos fortalecer a cooperação entre Instituições de Ensino Superior e/ou de Pesquisa do Brasil e do Canadá; fomentar o intercâmbio científico entre grupos de pesquisa e desenvolvimento brasileiros e canadenses; e fomentar a mobilidade de docentes e de estudantes de pós-graduação no nível de doutorado.

Comentários encerrados.