Semana dos Profissionais de Enfermagem: conheça o trabalho do Nuase com os estudantes da Unilab

Equipe do Nuase em atendimento a estudante. Foto: Nuase.

A Semana da Enfermagem é comemorada em todo o país de 12 a 20 de maio, período entre o Dia do Enfermeiro (12) e o Dia do Técnico e Auxiliar de Enfermagem (20). As datas aludem ao nascimento de Florence Nightingale e à morte de Anna Neri, duas personalidades históricas de grande relevância para a enfermagem no mundo e no Brasil.

Na Unilab, o Núcleo de Assistência à Saúde do Estudante (Nuase) – ligado à Coordenação de Assistência à Saúde Estudantil (Coase), da Pró-Reitoria de Políticas Afirmativas e Estudantis (Propae) – conta com três enfermeiras e três técnicas de enfermagem para atender os estudantes em diversas necessidades de saúde. Somente neste ano, até o final do mês de abril, já foram 1.078 atendimentos.

A todo momento, os estudantes podem contar com os atendimentos/consultas de Enfermagem, realizados nos ambulatórios de Palmares e Liberdade, no Ceará. Os técnicos de Enfermagem realizam procedimentos (verificação de sinais vitais, glicemia capilar, curativo etc), além de orientarem sobre assuntos de saúde. As enfermeiras são responsáveis pelas consultas de enfermagem, sendo esta considerada atividade privativa. Durante a consulta, ocorrem avaliação física e histórico de enfermagem – quando avaliam-se fatores de risco, histórico familiar e hábitos – para gerar um diagnóstico de enfermagem, que é voltado para a resposta do indivíduo a uma condição de saúde ou doença.

“A equipe de enfermagem do Nuase tem o compromisso de desenvolver um trabalho alinhado ao conceito ampliado de Saúde, realizando atividades que buscam compreender as necessidades em saúde dos estudantes de forma integral, fornecendo-lhes meios para promover o empoderamento e consequente autogestão do seu bem-estar”, destacam os profissionais.

O estudante guineense Franlink Cá conta que foi atendido pelo Nuase e em algumas vezes encaminhado até a Secretaria de Saúde do município para agendar transporte e fazer tratamento em Fortaleza. “Esse atendimento é muito importante para o estudante que acabou de chegar e não conhece nem Fortaleza nem a cidade onde reside”, sublinha.

Também estudante, Ámon Oliveira é homem trans e se sente grato pelo trabalho do núcleo, que considera ser feito com humanização. “Não sei como expressar agradecimento à dedicação e respeito, o que dizer sobre a profissão de enfermagem, que vai além de uma profissão: é uma forma de trato que vem do coração. Parabéns e obrigado por vocês me tratarem com o coração”, disse.


Outra atividade permanente é a recepção de estudantes internacionais, a cada início de período letivo. A ação começa com rodas de conversa com o tema “Conhecendo o SUS e os equipamentos de saúde de Redenção e de Acarape e Adaptação de saúde no Brasil”, realizadas pelos enfermeiros e técnicos de enfermagem. Ao final desse momento, ocorre o aconselhamento pré-teste rápido para HIV, sífilis, hepatite B e hepatite C, com orientações sobre a doença e sobre o teste.

Em seguida, os discentes são encaminhados para uma triagem epidemiológica, sendo realizada avaliação física com coleta de dados antropométricos (peso, altura, circunferência abdominal) e sinais vitais. Depois, o enfermeiro ou o médico faz uma consulta com o objetivo de identificar sinais e sintomas de doenças comuns nos países de origem, além de avaliarem as condições de saúde do discente no momento.

Depois da triagem epidemiológica, os estudantes que aceitarem são submetidos ao teste rápido, recebendo os resultados de forma individualizada, garantindo o sigilo, e com aconselhamento pós-teste.

Por fim, os estudantes são orientados a procurar as unidades básicas de saúde para tomar vacinas, quando necessário. Apesar de a vacinação ocorrer nos postos de saúde, a atividade sempre conta com um membro da equipe de enfermagem auxiliar.

Campanhas

Para além das ações realizadas no ambulatório, o Serviço de Enfermagem desenvolve, mensalmente, ações de promoção da saúde e prevenção de doenças, conseguindo dessa forma atingir um público maior de discentes e promover saúde na Universidade.

Neste ano, a semana que antecedeu o Carnaval contou com conscientização sobre acidentes de trânsito, preconceito e transmissão de infecções sexualmente transmissíveis (ISTs), sendo uma ação planejada e executada pela Coordenação de Assistência à Saúde do Estudante (Coase), da qual o Nuase faz parte.

Campanha de conscientização antes do Carnaval, neste ano. Foto: Nuase.

O núcleo realiza também as campanhas de vacinação, que objetivam sensibilizar a comunidade discente sobre a importância da atualização do cartão de vacina; promover a atualizar do esquema vacinal contra a hepatite B, difteria e tétano e tríplice viral dos estudantes.

Outra atividade importante é a testagem rápida para HIV. A campanha mais recente ocorreu em março deste ano, visando sensibilizar a comunidade sobre a importância do autocuidado (comportamento seguro) para prevenção das Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs), bem como da realização do teste para o rastreamento e diagnóstico precoce de HIV e, com isso, melhorar a qualidade de vida da pessoa que convive com o vírus, ao proporcionar um diagnóstico mais precoce.

 

“Foram obtidos resultados além do esperado, com boa adesão à atividade pelo público discente, refletindo uma preocupação maior com a saúde com quebras de barreiras de preconceito e estigma”, avalia a equipe do Nuase.

Agende-se

Entre as diversas atividades previstas ainda para este ano, estão promoção e prevenção contra Hepatites virais, “Julho Amarelo”; campanha de prevenção contra o suicídio, em parceria com profissionais de Psicologia, “Setembro Amarelo”; início de grupo para gestantes; atividade sobre o uso de drogas; Outubro Rosa; Novembro Azul e Campanha Mundial de Luta contra a Aids.

Conheça a equipe que compõe o Nuase.

Comentários encerrados.