Unilab confere grau a 88 estudantes no Campus dos Malês

Na última semana, 88 alunos do Campus dos Malês, em São Francisco do Conde/BA, colaram grau em cerimônias realizadas na Câmara Municipal local. Na sexta-feira (15), a Unilab conferiu grau a 59 alunos do curso de Humanidades. Já no sábado (16), foi a vez de 29 estudantes do curso de Administração Pública, da modalidade Educação a Distância.

Turma Luciano Guedes

“Ninguém caminha só. Tem sempre aquelas pessoas que marcam nossa caminhada. Conosco não foi diferente”. Assim começou o discurso do estudante Bartolomeu Agostinho, na noite da última sexta-feira (15), em agradecimento à comunidade acadêmica, familiares e amigos dos 59 concluintes do curso de Humanidades, período 2017.2. Com o auditório da Câmara Municipal de São Francisco lotada, os presentes compartilharam da festa e emoções da quarta turma do curso no Campus dos Malês.

Participaram da mesa de autoridades a pró-reitora de Graduação, Andrea Linard, representando a reitoria da Unilab; a diretora do Campus dos Malês, Mírian Sumica; a professora Lidia Lima, representando o diretor do Instituto de Humanidades e Letras (IHL) Maurílio Machado; o coordenador do curso de Humanidades, professor Pedro Leyva; o paraninfo da turma, professor Marivaldo do Amaral; e a patronesse da turma, professora Nilma Lino Gomes.

A “Turma Luciano Guedes” emocionou a todos com seu nome – uma homenagem ao estudante Luciano Guedes, que morreu em março deste ano. Aos 31 anos, ele estava cursando a terminalidade de Relações Internacionais. Também foram homenageados a assistente social Leila Machado, o motorista José de Jesus, o terceirizado Alexandro de Jesus e os professores Pedro Leyva, Ismael Tcham e Cristina Trinidad, além do paraninfo e patronesse da turma.

Dairine de Carvalho e Caixo Teixeira, oradores da turma

Em tom calmo e com serenidade, o orador da turma, Caio Teixeira, ressaltou a importância da Unilab em promover uma segunda abolição – desta vez não de correntes, mas de mentes. “Essas falas negras me representam, me constroem e me renovam porque pensamos em como criar novas significações e políticas de inclusões para os nossos irmãos negros”, destacou Caio, natural de Brasília.

Turma Rilza Valentim

Emocionada e com lágrimas nos olhos, a concludente Joira Barbosa contou que desde criança sonhava em ter um diploma de curso superior em universidade federal. Agora, aos 29 anos, outros novos sonhos já estão traçados. A nova graduada em Administração Pública pensa em trabalhar em uma organização não governamental, especificamente com jovens e adolescentes. Joira citou ainda que o curso abre um grande leque de possibilidades de emprego, tanto no setor público quanto privado.

Joira Barbosa, concludente de Administração Pública

Assim como Joira, outros 28 estudantes concluíram o curso de Administração Pública na manhã do último sábado (16). Ministrado na modalidade a distância, segundo Joira, “com essa possibilidade, a universidade dá espaço ao jovem que sai do subúrbio e geralmente precisa escolher entre estudar e trabalhar”. Apesar das provas presenciais, pesquisas de campo e muita pesquisa, ela garante que o modelo cria muitas oportunidades para quem não pode se dedicar apenas aos estudos.

Estiveram presentes na mesa de autoridades a pró-reitora de Graduação Andrea Linard, no exercício da reitoria e representando a coordenadora interina do curso de Administração Pública, na modalidade a distância, a professora Sandra Guimarães; a diretora do Campus dos Malês, Mírian Sumica; a coordenadora do polo de São Francisco do Conde, professora Jaciara Santana; o paraninfo da turma, professor Marivaldo do Amaral; e o vice-prefeito de São Francisco do Conde, Carlos Alberto Bispo (Nem do Caípe), representando o patrono do curso, o prefeito Evandro Almeida.

Ex-prefeita que deu nome à turma, Rilza Valentim foi homenageada pelo concludente Cleber Rogério dos Santos. “Para ela, todo grande projeto era para beneficiar a população negra ou a própria cidade de São Francisco do Conde, chegando a receber o selo pela primazia em ações afirmativas”, destacou Cleber. O resultado é uma turma de 29 graduados, majoritariamente composta por são franciscanos.

Comentários encerrados.