Campus dos Malês recebe visita do MEC para parecer sobre implantação do curso de Medicina

Nas últimas segunda e terça-feira (18 e 19), São Francisco do Conde/BA recebeu a visita técnica de representantes do Ministério da Educação (MEC), como parte do processo para implantação do curso de Medicina no Campus dos Malês. Estiveram presentes o professor e infectologista Geraldo Cury, da Comissão de Acompanhamento e Monitoramento de Escolas Médicas (CAMEM), e o fonoaudiólogo Rodolfo da Silva, ambos da Diretoria de Desenvolvimento da Educação em Saúde (DDES) do MEC.

O objetivo da visita técnica foi analisar as dimensões: recursos financeiros/humanos, infraestrutura, projeto pedagógico, relação ensino-serviço, sistema de governança e as possíveis futuras instalações do curso de Medicina, além de conhecer o perfil epidemiológico da região e a capilaridade de atendimento da rede de atenção a saúde na Bahia. A partir da visita, um parecer será emitido pela CAMEM para avaliação da DDES/SESu/MEC.

Entre autoridades e comunidade acadêmica, participaram do encontro da segunda-feira (18) a diretora do Campus dos Malês, Mírian Sumica; a pró-reitora de Graduação, Andréa Linard; a pró-reitora de Pesquisa e Pós-Graduação, Albanise Barbosa; a pró-reitora de Extensão, Arte e Cultura, Rafaella Pessoa; e os membros da Comissão de Medicina Malês Marcos Vinnicius, Fabrício Passos, André Conceição e Marília Fontoura.

Também marcaram presença as secretárias municipais de São Francisco do Conde Eleuzina Falcão (Saúde) e Silmar Carmo (Planejamento).

Andrea Linard, pró-reitora de Graduação

Na ocasião, a pró-reitora de Graduação, a diretora do Campus dos Malês e o engenheiro civil do campus, Marcus Vinnicius, mostraram todo o trabalho que vem sendo realizado na instituição para estruturar o campus para a chegada do curso. No turno da tarde, a comitiva visitou os serviços da rede de atenção à saúde de São Francisco do Conde, Candeias e Santo Amaro.

O diferencial do curso de Medicina, que poderá ser implantado no Campus dos Malês, é o foco em saúde da família. O objetivo é investir em uma formação mais humanizada e focada nos problemas de saúde da população do recôncavo baiano e região metropolitana.

Autoridades locais apoiam a implantação do curso de Medicina

No intuito de mostrar ao MEC a importância da Unilab e o seu papel social no território do recôncavo baiano, na manhã da terça-feira (19), um novo encontro reuniu diversas autoridades locais. Foi também um momento para destacar as condições favoráveis e o apoio da comunidade para a implantação do curso de Medicina na instituição.

Além das autoridades participantes do primeiro dia da visita técnica, estiveram presentes no auditório da Secretaria Municipal de Educação (Seduc), declarando apoio à implantação, a vice-reitora da Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB), Georgina Gonçalves; o subsecretário de Educação do Estado da Bahia, Nildon Pitombo; o prefeito e vice-prefeito de São Francisco do Conde, Evandro Almeida e Carlos Alberto Bispo (Nem do Caípe), respectivamente; o prefeito de Santo Amaro, Flaviano Rohrs; o prefeito de Madre de Deus, Jeferson Andrade; o deputado estadual Rosemberg Pinto; a deputada estadual Neusa Cadore; e vereadores e secretários da região. Participaram do evento professores, técnicos-administrativos e membros da Comissão de Implantação do Curso de Medicina da Unilab.

Comissão de Medicina Malês e pró-reitoras da Unilab

“A implantação do curso de Medicina conversa muito com os anseios do território. Esse tema não surge das esferas mais altas, mas dos vazios assistenciais e da conversa com a população”, garante a secretária municipal de Saúde, Eleuzina Falcão.

Quem também defendeu a importância do curso para a região foi a vice-reitora da UFRB. “O ensino superior no recôncavo é para nós algo definitivo, algo que muda a paisagem da região, algo que interfere e reafirma o compromisso da região com o avanço da política pública. Nesse sentido, o curso de Medicina constitui na Unilab um ponto importante no sentido de fortalecer a instituição de ensino superior na região, comprometendo-se com a formação e com o avanço cidadão”, afirmou Georgina Gonçalves, que confirmou a parceria da UFRB com a Unilab.

Mírian Sumica, diretora do Campus dos Malês

Emocionada, a presidente da Comissão de Medicina Malês e diretora do campus, Mírian Sumica, compartilhou o sonho da comunidade acadêmica. “Eu acredito que nós vamos formar o primeiro curso de Medicina deste país em que os estudantes serão prioritariamente negros e negras, vindos de camadas populares, vindos de lugares populares nos seus países da África”.

Geraldo Cury, avaliador do MEC

“A Unilab tem uma proposta extremamente importante. Além disso, é necessária a colaboração dos municípios com a universidade, no sentido de torná-la cada vez mais forte” afirmou o avaliador do MEC, Geraldo Cury. “Não é a comissão que cria ou deixa de criar qualquer curso. O que a gente faz é uma avaliação das condições. Avaliamos vários aspectos e um deles é a proposição política. Aqui ficou mais do que demonstrado que existe um grande interesse do estado e dos municípios da região em que esse curso venha a existir. Essa é uma questão pacífica e muito importante”, ressaltou.

De acordo com o avaliador, o próximo passo é elaborar o relatório junto ao MEC e aguardar os encaminhamentos dados pelo Ministério ao processo de implantação do curso. Enquanto isso, “que fique certo para todos: essa universidade traz uma nova visão, uma nova proposta e uma nova perspectiva para a região”, finalizou Geraldo Cury.

Sobre o processo de implantação

Em outubro de 2014, a Unilab assinou no MEC uma ata de pactuação para a implantação de dois cursos de Medicina, sendo um no Ceará e outro na Bahia. Cada curso pactuado receberá 60 vagas para docente e 60 vagas de técnicos administrativos (12 vagas nível E e 18 vagas nível D).  A previsão pactuada para cada curso é a oferta de 60 vagas discente ao ano, distribuídas em duas entradas de 30 alunos.

Como parte do processo de expansão das escolas médicas no Brasil, a Unilab faz parte do Programa Maís Médicos. A instituição realiza a supervisão dos médicos na rede de atenção à saúde e já ofereceu vagas em programa de residência médica em Saúde da Família.

A implantação de dois cursos de Medicina integra a proposta de ampliação da oferta de ensino superior do Instituto de Ciências da Saúde (ICS), atualmente sob a direção do professor Thiago Moura de Araújo. No ICS, já esta em funcionamento um curso de graduação em Enfermagem, dois cursos de especialização (Gestão em Saúde e Saúde da Família) e um curso de mestrado acadêmico em Enfermagem.

Comentários encerrados.