Pesquisas, novos projetos e diversidade de gênero foram temas do encerramento do curso “Defensoras e Defensores dos Direitos à Cidadania”

Concludentes e convidados do curso de extensão DDDC 2018

Núcleo de Políticas de Gênero e Sexualidades (NPGS/Propae), vinculado à Pró-Reitoria de Políticas Afirmativas e Estudantis (Propae), em atividade há cinco anos, é coordenado pela professora do Instituto de Humanidades e Letras (IHL/Unilab), Violeta Holanda, tem como parceria o Instituto Maria da Penha, realizou o na última segunda-feira (18), na Unidade Acadêmica dos Palmares, em Acarape/CE, encerramento do Curso de extensão “Defensoras e Defensores dos Direitos à Cidadania (DDDC)”, edição 2018.

O evento contou com a presença dos professores do IHL, Itacir Luz, Larissa Gabarra, Vitor Macedo, Cadu Bezerra, Tiago Cunha e Violeta Holanda – coordenadora do NPGS.

Encerramento do DDDC 2018

Como convidadas, a professora Márcia Machado, enfermeira, pós-doutora em Saúde Pública e pró-reitora de extensão da Universidade Federal do Ceará (UFC), a qual desenvolve diversos projetos de pesquisa nas áreas temáticas de Saúde da Mulher e da Criança; Enfermagem Pediátrica; Nutrição Infantil; Saúde Coletiva e Avaliação de Programas e Serviços em Atenção Básica de Saúde. Como também a estudante iraquiana, Noor Zanial (Mestrado em Harvard/EUA) realizando a pesquisa: “Avaliando barreiras ao acesso de recursos, entre vítimas por parceiro íntimo”.

Professora Márcia Machado e a mestranda de Harvard, Noor Zanial.

Segundo a pró-reitora de extensão da UFC, a iraquiana e estudante de mestrado da Universidade de Harvard, Noor Zanial, realiza estudos Sobre Polícias de Saúde Global, com interesse na temática do Feminismo. Sua mentora e orientadora na pesquisa é Márcia Castro, demógrafa, brasileira, carioca, docente da Escola de Saúde Pública de Harvard, efetivada como professora desta unidade de ensino superior do Departamento de Saúde Global.

Os grupos de pesquisadores do intercâmbio, conta com 15 brasileiros, desenvolveram trabalhos de relevância mundial, no contexto da primeira infância; HIV/Aids; dengue/zika/chikungunya; tuberculose e forma de violência, entre eles, a violência contra a mulher foi tratado com relevância.

Márcia Machado, enfermeira e UFC no encerramento do DDDC 2018 da Unilab

Para Noor Zanial, o Brasil teve o destaque quando conheceu a farmacêutica, militante dos Direitos da Mulher, mais conhecida a partir da lei que leva seu nome, a cearense Maria da Penha, que ministrou palestra durante o curso colaborativo, promovido pela UFC, em parceria com a Universidade de Harvard (Estados Unidos), ocorrido em Fortaleza/CE no começo deste ano.

Do encontro, no encerramento do curso de extensão da Unilab (DDDC 2018), a professora da UFC propôs que as pesquisadoras possam desenvolver, em parceria com os cursistas concludentes, um Grupo de Trabalho Focal, com encontro periódico,  sobre as temáticas que tratem do suporte às mulheres vítimas de violência, das conquistas de seus direitos e melhores condições institucionais dos órgãos públicos do Ceará.

Silmara, estudante do curso de Sociologia e pesquisadora nas temáticas de gênero.

Para Silmara Lanai, estudante concludente do curso de Sociologia da Unilab e bolsista do NPGS, realizou projetos de pesquisa e extensão, realizou projeto de extensão com a professora do IHL, Luma Nogueira de Andrade e desenvolveu o mapeamento das Organizações Não-Governamentais (ONGs) de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros (LGBT) do estado do Ceará e outros trabalhos na temática que desenvolve o Núcleo, sendo este “um local de apoio que recebe muitas denúncias e apoio às mulheres atendidas”, explicou a estudante.

Violeta Holanda, coordenadora do NPGS, na entrega dos certificados aos concludentes do DDDC 2018

Segundo Violeta Holanda, Núcleo de Políticas de Gênero e Sexualidades (NPGS), em atividade há cinco anos, a Unilab vai ofertar vagas, previsão para o mês de outubro deste ano, no curso de Especialização sobre “Gênero, Diversidade e Direitos Humanos”, coordenado pelo professor do IHL, Cadu Bezerra. Outra proposta apresentada pela coordenadora, é a proposta de desenvolver um curso de mestrado também na área de gênero, considerando que o “Núcleo é o espaço certo para trabalhar a educação para diversidade, tentando discutir, vivenciar e trabalhar a educação no que se refere ao Gênero de forma democrática, aberta e respeitando as diversidades”, esclarece a coordenadora do NPGS.

Núcleo de Políticas de Gênero e Sexualidades da Unilab

Matéria relacionada: Núcleo de Políticas de Gênero e Sexualidade abre inscrições para o curso de extensão “Defensoras e Defensores dos Direitos à Cidadania”

Comentários encerrados.