Discente brasileiro lança livro sobre integração com estudantes africanos e relatos de viagem em Guiné-Bissau

230 páginas de relatos sobre a experiência do estudante da Unilab Gislailson “Cá”com a comunidade africana na universidade; aprendizado da língua crioula, o porquê do apelido “Cá”, mais de 50 relatos de experiência em Guiné-Bissau e uma entrevista exclusiva com a escritora guineense e ex-ministra da Educação Maria Odete da Costa Semedo. É com este fôlego que “Nha terra: Guiné-Bissau em Relatos e Fotografias” será lançado nesta quinta-feira (19), às 14h, no Auditório 2 do Campus das Auroras, em Redenção/CE.

Na ocasião, estarão presentes o presidente da Academia Afrocearense de Letras, Manuel Casqueiro; o presidente da Associação dos Estudantes Guineenses da Unilab, Mikail Simões; o coordenador do Curso de Sociologia,. Eduardo Machado; a Servidora do IHL – Leiliane Pontes e o Autor do Livro –Gislailson Cá. Além disso, o lançamento do livro contará com apresentações culturais e degustação de pratos tipicos de Guiné-Bissau e de São Tomé e Príncipe. Todos os participantes terão certificados de participação emitidos pelo Instituto de Humanidades e Letras da Unilab (IHL).

A obra, segundo Manuel Casqueiro, presidente da Academia Afrocearense de Letras e responsável pelo prefácio, é uma sincera homenagem à Unilab, à Guiné-Bissau, à amizade e à paz. O livro estará à venda por R$50,00 (à vista) e R$60,00 (parcelado em 2x no cartão de crédito).

Para mais informações, entre em contato com Gislailson “Cá” pelo e-mail gislailsondelfino@yahoo.com.br.

Trajetória

Gislailson “Cá” com alunos da Escola Católica de Enterramento, em Bissau, capital da Guiné-Bissau.

A lei de criação da Unilab prevê formar recursos humanos que possam contribuir com a integração internacional entre o Brasil e os países membros da Comunidade dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (CPLP). Nessa perspectiva, o estudante do último semestre do curso de Sociologia Gislailson “Cá” vem demostrando, desde 2014, uma trajetória em prol da integração e interação com os estudantes africanos dos países parceiros.

Após o seu ingresso na Unilab, Gislailson “Cá” começou a interagir com a comunidade africana, resultando assim no aprendizado da Língua Crioula de Guiné-Bissau. Para finalizar o seu primeiro curso de graduação (BHU), o estudante viajou para a Guiné-Bissau, onde ficou dois meses realizando visitas em diferentes bairros e regiões do país e, na volta, defendeu seu trabalho de conclusão de curso intitulado “Trajetórias de estudantes guineenses no Brasil: do processo de integração ao regresso/retorno”.

Capa do livro.

Comentários encerrados.