Dia da Mulher Africana é comemorado na Unilab com ciclo de reflexões

Há 56 anos, o continente africano celebra o Dia da Mulher Africana, no dia 31 de julho. Em alusão à data, a Rede Internacional de Mulheres Africanas da Unilab (RIMA), que também comemora hoje o seu aniversário, organizou o “I Ciclo de Reflexões sobre as Mulheres Africanas na Unilab”.

Com o tema “Mulheres Africanas: protagonismos, desigualdades e respeito”, a atividade vai acontecer no Campus da Liberdade, em Redenção/CE, nos dias 6 e 7 de agosto. Também será lançado o curso de formação sobre “Gênero, Mulherismos e Feminismos em África”, com início no dia 11 de agosto.

Instituído em 1962, o Dia da Mulher Africana teve início durante a conferência das mulheres africanas. “Foi também nesta data que foi criada a Organização Pan-Africana das Mulheres, para que as mulheres africanas compartilhassem suas experiências e somassem esforços para a emancipação feminina”, explica a professora Artemisa Candé, coordenadora executiva da Rede Internacional de Mulheres Africanas (Rima).

“Não podemos deixar de reconhecer o protagonismo das mulheres africanas nas significativas mudanças que marcaram o continente, desde o processo de libertação nacional até a consolidação da democracia e da estabilidade política”, lembra Artemisa Candé. E completa, “as mulheres foram imprescindíveis na promoção da paz em vários países africanos”.

Na Unilab, como homenagem ao Dia da Mulher Africana, foi criada no dia 31 de julho de 2017, a Rede Internacional de Mulheres Africanas. Pensada com base na necessidade de fortalecer a sororidade entre as mulheres africanas presentes na instituição, a Rede busca potencializar as vozes femininas perante as diversas realidades sociais.

Comentários encerrados.