Nota da Reitoria sobre o ranking de fragilidade à corrupção do TCU

Na última sexta-feira, o jornal O Povo publicou uma matéria sobre o relatório do Tribunal de Contas da União (TCU), onde constam diversos órgãos federais de todo o Brasil ranqueados segundo riscos ou fragilidades à corrupção. A Unilab surge com pontuação 0,83, faixa de risco considerado “alto”.

É importante salientar que os relatórios do TCU não traduzem ilícitos, mas fragilidades da estrutura que, no caso da Unilab, ainda tem seus equipamentos de defesa sendo construídos. Esclarecemos que vêm sendo realizados esforços no sentido de implementar e otimizar os processos de governança, gestão de riscos e controle internos no âmbito da Unilab. O Gabinete da Reitoria instituiu o Comitê de Gestão da Integridade (Portaria GR nº 1234/2018) com a atribuição de coordenar a estruturação, execução e monitoramento do Plano de Integridade no âmbito da Unilab, em conformidade com a Portaria CGU 1089/2018. Ainda, em conjunto com a Auditoria Interna, tem acompanhado a implementação das recomendações exaradas nos Relatórios da Controladoria Geral da União e Tribunal de Contas da União.

Ressaltamos que o relatório não reflete a situação atual, uma vez que a última auditoria do TCU na Unilab ocorreu no ano passado (2017). Desta forma, já melhoramos sensivelmente em relação ao que foi constatado. Ao longo dos anos, diversas ações destes Órgãos de Controle já foram executas na Unilab e nenhum indício da má-fé ou prejuízo ao erário foram apontados. Sempre tivemos nossos relatórios de gestão aprovados pelo TCU.

A Unilab compreende e se coloca favorável às recomendações e às determinações apontadas pela CGU e TCU, que são fundamentais para o aperfeiçoamento da sua gestão.

Comentários encerrados.