Unilab participa da organização da II Escola de Verão, em Moçambique, e envia professores ao evento

Representantes do MU-CONSAN CPLP de cada país.

A Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-brasileira (Unilab) esteve na organização da II Escola de Verão do MU-CONSAN-CPLP: uma abordagem metodológica na perspectiva territorial, em Tete, Moçambique, entre os dias 14 e 18 de novembro.

A Escola de Verão ocorreu no âmbito do projeto “Fortalecimento do Ensino, Pesquisa e Extensão para a Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) e na Unilab”, coordenado pela Pró-Reitoria de Relações Institucionais (Proinst/Unilab), por meio de convênio com o Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações do Brasil (MCTIC/SEPED/DEPIS).


Os professores Jaqueline Sgarbi e Pedro Acosta Leyva, coordenadora e vice-coordenador do projeto, além da professora Fernanda Schneider, membro da equipe e da especialização EAD em Soberania e Segurança Alimentar, representaram a Unilab. Estiveram presentes no evento pesquisadores de Angola, Moçambique, São Tomé e Príncipe, Brasil, Portugal, Cabo Verde, estudantes da UniZambeze e demais convidados locais de Moçambique.

O Mecanismo de Facilitação da Participação das Universidades no Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (MU-Consan-CPLP) e a Universidade Zambeze (UniZambeze), de Moçambique, também estavam na organização do evento, que teve como objetivo fortalecer o trabalho do MU-Consan-CPLP, compartilhando e qualificando os trabalhos de soberania e segurança alimentar e nutricional, ao mesmo tempo em que promove a coesão da Rede de Pesquisa em Sistemas Agroalimentares dos países de língua portuguesa.

Equipe de professores vai a campo.

Como resultado, obteve-se o fortalecimento dos processos de cooperação em rede de pesquisadores da CPLP, por meio de um debate que contribuiu na construção de uma proposta metodológica com foco nos territórios. Além de atividades realizadas na Unizambeze, o grupo se deslocou a duas comunidades rurais (Mualadzi e Benga) na província de Tete, viabilizando a construção de propostas e debates, com base em uma realidade concreta.

Os pesquisadores do Brasil estiveram também na Unizambeze, na cidade de Beira, dialogando com a comunidade acadêmica local com ênfase na criação de Cursos EAD de Especialização em Segurança Alimentar e Nutricional e parcerias para projetos futuros.

Ao final do evento foi redigida a Carta de Tete, que apresenta posicionamento e propostas do MU-CONSAN-CPLP e dos participantes do evento para a construção da soberania e segurança alimentar e nutricional na CPLP.

Saiba mais sobre a Escola de Verão.

Comentários encerrados.