Projeto de Extensão leva agricultores de Pacajus para intercâmbio em Itapipoca e Trairi

Intercâmbio de experiências entre agricultores, discentes e docentes do curso de Agronomia da Unilab | Foto: Maria Islandia da Silva

O Projeto de Extensão “Desenvolvimento participativo de sistema agroflorestal: alternativa para produção sustentável da agricultura familiar” promoveu, no fim do mês de novembro, mais um intercâmbio e troca de saberes envolvendo agricultores da comunidade de Umari, município de Pacajus/CE.

A atividade teve a participação de 14 agricultores, um pesquisador da Embrapa e uma técnica do Cetra, além da equipe do projeto, composta por três discentes e uma docente do curso de Agronomia da Unilab. A visita foi realizada em dois municípios: assentamento Várzea do Mundaú, em Trairi/CE, que consiste em uma unidade produtiva agroecológica (florestação), e um quintal produtivo localizado na cidade de Itapipoca/CE.

O Projeto de Extensão é coordenado pela professora Maria Ivanilda de Aguiar, vinculada ao Instituto de Desenvolvimento Rural (IDR), e busca promover a troca de experiências entre agricultores, por meio de visitas às áreas produtivas. Nesses momentos, é feito o diálogo por meio de rodas de conversas sobre a transição do modelo convencional para formas de cultivo conservacionistas e agrobiodiversos.

A troca de experiências

Troca de experiência e práticas na área de consórcio agroecológico no assentamento Várzea do Mundaú, Trairi/CE | Foto: Maria Ivanilda de Aguiar

No assentamento Várzea do Mundaú, os agricultores da comunidade de Umari foram recebidos pelo casal Francisca Menezes e José Júlio, que possuem uma unidade de produção agroecológica. Houve uma breve introdução sobre o histórico da área, com ênfase nos princípios adotados para a realização do sistema agroecológico.

Para o agricultor José Júlio, este modelo implantado permitiu que a família obtivesse uma geração de renda, além de produzir alimentos saudáveis, livres de agrotóxicos.

As visitas

Visita à área de plantação de cultivo de sabiá | Foto: Victor Castro

As visitas às áreas de produção tiveram início no quintal produtivo, onde José Júlio mostrou diversos cultivos, como: alface, coentro e cebolinha, além da criação de animais, produção de mel de abelha e produtos que são comercializados na feira de Itapipoca.

No segundo momento, a visita continuou no cultivo de sabiá, onde o agricultor ressaltou a importância dos tratos culturais e a potencialidade da cultura para os agricultores de Umari. Próximo à área sob cultivo de sabiá, José Júlio mostrou a área que cultiva em sistema agroflorestal, destacando a existência de aproximadamente 54 espécies de plantas.

Outra visita ocorreu na propriedade de Inácia Patrícia e Marcos Manuel. Após uma roda de conversa, os participantes conheceram o quintal produtivo, onde foi apresentado o plantio de mandioca em sistema agroflorestal, com a presença de algumas espécies nativas do bioma caatinga, forrageiras e frutíferas. Além da produção de mudas, é muito utilizado o subproduto do caju, para a produção de cajuína, geleia e doce.

Roda de conversa e confraternização | Foto: Natividade

Finalizando a atividade, uma roda de conversa permitiu a exposição dos aprendizados, sendo destacadas as experiências adquiridas, ao longo do percurso sobre os cultivos agrícolas, manejo e aplicação, além das potencialidades de cada cultura. Foi ressaltada a importância do sistema agroflorestal, tendo em vista ser uma produção mais sustentável.

Comentários encerrados.