III Novembro Afro-Brasileiro termina com show, roda de conversa, lançamento de livros e presença marcante do público

Nos últimos dias 10 e 11 de dezembro,ocorreram, no Auditório Administrativo do Campus da Liberdade, as últimas etapas das atividades do III Novembro Afro-Brasileiro, que teve como tema “Africanidades em Movimento e Cotidiano Escolar”. Participaram mais de 100 pessoas, entre docentes, discentes e a comunidade local.

No dia 11 de dezembro, o evento contou com a presença do chefe da Setor de Promoção da Igualdade Racial da Unilab (Sepir/Unilab) e professor do curso de Antropologia da Unilab, Arilson dos Santos, e do professor do curso de História da Unilab Itacir Marques, que versaram teoricamente sobre o tema do encontro e a sua relação às práticas escolares.

Professores Arilson dos Santos e Itacir Marques, na abertura do III Novembro Afro-Brasileiro na Unilab.

No dia 12, as atividades tiveram início com a apresentação do Grupo Trakinuz, de Cabo Verde, formado por dois jovens, Jailson Correia e José Maria Veiga (inativo no momento), naturais dos Picos conselho de São Salvador do Mundo. O grupo lançou o primeiro trabalho em outubro de 2012, uma mixtape intitulada “Mundu Novu”, com 10 faixas e com participações de artistas como Azaiaz e Eli Brito, entre outros.

Show cultural.

Após a apresentação, seguiu-se a Roda de Conversa com autores, com a presença do professor do curso de História Lourenço Cardoso e da professora do curso de Humanidades Joanice Conceição, que apresentaram os seus livros.

Sob a mediação de Arilson dos Santos, os livros apresentados e debatidos foram: “Irmandade da Boa Morte e Culto de babá Egum: Masculinidades, Feminilidades e Performances negras”, de Joanice Conceição, e “Branquitude: Estudos sobre a Identidade Branca no Brasil”, de Lourenço Cardoso.

Houve ainda lançamento de livros, com os professores da Unilab Ivan Lima, lançando “História da educação do negro(a): Pedagogia interétnica de Salvador, uma ação de combate ao racismo”; Patrício Araújo, com “Segredos do Poder: Hierarquia e autoridade no Candomblé”; o livro:  “Construindo Pontes: Paulo Freire entre saberes, projetos e continentes” de autoria de Larissa Gabarra e Leandro Proença.

Após foi realizada sessão de autógrafos e servido um coquetel organizado pelos autores e autoras, com a presença dos participantes do encontro.

Sobre o evento

O III Novembro Afro-Brasileiro foi idealizado pelo Setor de Promoção da Igualdade Racial Kabengele Munanga (Sepir), vinculado à Pró-Reitoria de Políticas Afirmativas e Estudantis (Propae), e pelo Centro de Estudos Interdisciplinares Africanos e das Diásporas (Ceiafrica), com o apoio da Pró-Reitoria de Extensão, Arte e Cultura (Proex).
Em referência ao 20 de Novembro – Dia da Consciência Negra, o evento reúne um conjunto de atividades nas áreas de arte, educação e cultura afro-brasileiras.Em sua primeira edição, em 2016, realizou-se sob a temática da consciência e ação (daí o subtítulo “ConsciênciAção”). Este ano, a atividade contou com o apoio do Núcleo de Estudos Africanos e Afro-Brasileiros da Unilab, que ofertou oficinas e palestras.

Comentários encerrados.