Unilab e Unila firmam parceria e assinam protocolo de intenções

Integração, internacionalização e parceria – estes foram alguns dos temas que caminharam juntos em uma visita exitosa realizada na última semana. Uma comitiva da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) esteve presente na Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila), considerada coirmã em missão, características e desafios.

Juntas no objetivo de fomentar a integração, seja por meio da parceria e troca de experiências com outras nações, seja na conexão com os territórios nos quais estão inseridas, Unilab e Unila carregam convergências e particularidades, compartilhadas durante o encontro. O fruto dessa parceria está contido no protocolo de intenções para ações conjuntas, assinado pelos dois atuais reitores.

“É impressionante o quanto aprendemos e crescemos enquanto seres humanos. A diversidade cultural, os diversos olhares. É muito rico, é muito gratificante”, declarou o reitor pro tempore da Unilab, Alexandre Cunha Costa, ao reconhecer a importância do projeto de internacionalização. Além dele, participaram da comitiva os pró-reitores de Relações Institucionais, Max César de Araújo; de Graduação, Edson Holanda; de Extensão, Arte e Cultura, Rafaella Moreira; e de Pós-Graduação, Albanise Barbosa.

Comitivas da Unilab e Unila | Foto: Unila

Na ocasião, os anfitriões foram o reitor pro tempore da Unila, Gustavo Vieira, a vice-reitora pro tempore, Cecília Angileli, e os pró-reitores de Graduação, Lucio Flávio Gross; de Relações Institucionais e Internacionais, Diana Araújo; de Extensão, Maria Eta Vieira; de Pesquisa e Pós-Graduação, Dinaldo Sepúlveda Almendra Filho; de Assuntos Estudantis, Ana Paula Araujo; e de Planejamento, Orçamento e Finanças, Jamur Johnas Marchi. Participaram, ainda, os futuros reitor e vice-reitor, eleitos recentemente, Gleisson Brito e Luis Evelio Garcia, respectivamente.

Durante uma conversa com o atual reitor da Unila, registrada na websérie “Charla”, o reitor da Unilab destacou como uma das palavras-chave da vez a “consolidação”. “Está na hora de consolidarmos estratégias, concretudes e realizar uma expansão sustentável das nossas instituições”, defendeu Alexandre Costa. “Temos as nossas especificidades e a internacionalização é uma variável fundamental”, completou.

Reitores assinam protocolo de intenções | Foto: Unila

Para Alexandre Cunha, além da consolidação ser refletida em uma nova relação com os países parceiros e nas possibilidades de cooperação com agendas internacionais, ela se mostra na conexão com o território e na aproximação com os atores locais, por meio da extensão universitária. “Um desafio que temos em conjunto, regiões em que existia um déficit de oferta do ensino superior. Então a gente atende a uma estratégia de desenvolvimento regional simultaneamente com a construção de identidade que a gente não tem referenciais”, acrescentou o reitor da Unila, Gustavo Vieira.

Entre os diálogos e reuniões específicas entre comitivas e pró-reitorias, com o intuito de construir uma parceria estratégica de complementaridades, a Unila reuniu, em vídeo, os depoimentos do futuro reitor da Unila, Gleisson de Brito, e da pró-reitora de Extensão da Unilab, Rafaella Moreira.

O futuro reitor da Unila pontuou três importantes questões: a integração entre as duas universidades; a troca de experiências, desafios nas infraestruturas e institucionalização; e o planejamento estratégico. “A aproximação entre as nossas universidades nos permite planejar conjuntamente quais são as melhores estratégias de defesa da nossa identidade, de interação e convênios com universidades dentro e fora do Brasil, para termos articulações dentro da nação, com o futuro governo e futuras tensões que possamos vir a enfrentar, na defesa da universidade pública, gratuita e de qualidade”, declarou Gleisson de Brito.

Da visita, a pró-reitora Rafaella Moreira destacou a necessidade de uma troca intensiva quanto à extensão. Para ela, é importante o diálogo entre as pró-reitorias das duas universidades, no sentido de promover projetos de fomento às ações de extensão, arte e cultura em comum nas duas instituições.

Unilab e Unila em números

Apesar dos mais de três mil quilômetros de distância, Unilab e Unila foram criadas em 2010 e apresentam perfis parecidos e complementares.

Com 22 cursos de graduação e quase sete mil alunos, a Unilab tem sede no Ceará, com dois campi em Redenção e uma unidade acadêmica em Acarape. Possui também um campus em São Francisco do Conde/BA. Com o foco na integração com os países de língua portuguesa da África e Timor Leste, o número de estrangeiros gira em torno de 30%.

São 14 cursos de pós-graduação, mais de 200 projetos de pesquisa e quase 700 servidores. A Unilab se destaca pela expansão no Ensino a Distância (EAD), na graduação e pós-graduação. São mais de 2000 estudantes ativos EAD e mais de 1500 formados, em áreas estratégicas para todo o país. A Unilab conta, atualmente, com 16 polos.

Com foco na América Latina e Caribe, a Unila está localizada em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná. Atual “lar” de estudantes de 20 países da América Latina, ela reúne 29 cursos de graduação e quase cinco mil alunos.

Mais de 200 ações de extensão, 359 projetos de pesquisa e quase 900 servidores compõem a Unila. Conta, ainda, com cinco especializações e dez programas de mestrado.

Comentários encerrados.