I Seminário de Ações Afirmativas de Promoção da Igualdade Étnico-Racial da Unilab promove rodas de conversas, debates e apresentação de propostas

Mesa de Abertura do Seminário | Foto: Organização

Nos últimos dias 17 e 18 de dezembro, ocorreu no Auditório do Bloco Didático do Campus da Liberdade, em Redenção/CE, o primeiro Seminário de Ações Afirmativas de Promoção da Igualdade Étnico-Racial. O evento foi organizado pelo Setor de Promoção da Igualdade Racial da Unilab (Sepir).

Com o objetivo de discutir, formular, propor e encaminhar, o Seminário contou com a participação de todos os segmentos da comunidade universitária, além de grupos e indivíduos da sociedade local. O evento teve o intuito, ainda, de lançar propostas específicas de modo a contribuir para a institucionalização das ações afirmativas, no que se refere às demandas das relações étnico-raciais na Unilab, para além da discussão do acesso a vagas.

Público na abertura do Seminário | Foto: Organização

Na mesa de abertura, o evento contou com a presença da Vice-Reitora da Unilab, Profa. Andrea Linardi; do Chefe do Sepir, Arilson dos Santos Gomes; das Pró-Reitoras Albanise Barbosa Marinho, de Pesquisa e Pós-Graduação, Maria Socorro Camelo Maciel, de Políticas Afirmativas e Estudantis, e Silviana Fernandes Mariz, representando a Pró-Reitoria de Graduação. Na ocasião, os participantes ressaltaram a importância do Seminário para a consolidação das ações afirmativas na Unilab, no que tange aos aspectos relacionados a ensino, pesquisa e extensão.

O Seminário contou com a presença de mais de 120 pessoas, entre docentes, discentes, técnicos e comunidade externa. Ainda no dia 17, o evento teve a presença das Mulheres Cirandeiras da Comunidade da Serra do Juá, com uma performance cultural.

Mulheres Cirandeiras da Comunidade da Serra do Juá | Foto: Organização

Na sequência, uma Mesa de Palestras abordou os temas: Ações Afirmativas para Indígenas, Negros, Internacionais e Quilombolas, com a presença do prof. Tiago Anacé e das profas. Daiane Daine de Oliveira Gomes (Coordenação Especial de Políticas Públicas para a Promoção da Igualdade Racial do Estado Ceará), Rosalina Semedo de Andrade Tavares, da Unilab, e Claudia de Oliveira da Silva (Quilombola da Comunidade Serra do Juá).

Mesa de Palestras | Foto: Organização

Já no dia seguinte, a programação continuou com a Roda de Conversa “Os discentes da Unilab e os desafios para a implementação das Ações Afirmativas de Promoção da Igualdade Étnico-Racial”. A roda foi formada por representantes das associações de discentes presentes na Unilab.

Roda de Conversa | Foto: Organização

Após a Roda de Conversa, seguiram-se os debates dos seguintes Grupos de Trabalhos (GTs): Ações Afirmativas para Quilombolas, Ações Afirmativas para Indígenas, Ações Afirmativas para Negros e Negras e Ações Afirmativas para Internacionais.

Encerrando o Seminário, na noite de 18 de dezembro, cada GT, por meio de seus representantes, apresentou à comunidade acadêmica as propostas formuladas. Na mesa de apresentação geral, participaram Mateus Tramembé, Rosalina Tavares, Joanice Conceição e Itacir Marques.

Apresentação de GTs | Foto: Organização

Encaminhamentos

Após a apresentação pública das propostas formuladas para a comunidade acadêmica e sociedade em geral, está sendo elaborado o documento oficial do Seminário, contendo todas as propostas efetuadas.

O documento será entregue ao Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe). É a ele que, conforme seu artigo XV, compete deliberar sobre especificidades da composição na oferta de vagas na Universidade, inclusive no que concerne às políticas afirmativas, nos termos da lei. Será entregue, também, ao Conselho Universitário (Consuni), a quem cabe formular e aprovar a política geral da Universidade nos planos acadêmico, administrativo, econômico e financeiro, patrimonial e disciplinar, além de demais instâncias superiores.

I Seminário de Ações Afirmativas de Promoção da Igualdade Étnico-Racial da Unilab | Foto: Organização

Comentários encerrados.