Grupo Nzinga de Capoeira Angola realiza encontro no Campus dos Malês

Em língua changana a expressão “Ntlhangano Culturas” pode ser traduzida por encontro de Culturas e expressa o trabalho que o grupo Nzinga de Capoeira Angola tem realizado ao longo de seus 23 anos de existência. Situado em várias cidades do Brasil e do mundo (Argentina, México, Alemanha, Estados Unidos, Japão e Moçambique), há dez anos atua na cidade de Maputo, Moçambique. Pela linguagem da capoeira angola tem-se estabelecido um intercâmbio entre Brasil e Moçambique através do qual se é possível acessar uma série de conhecimentos tradicionais. Neste encontro será discutido o impacto do trabalho do grupo em Maputo, que ao longo dos anos tem realizado tanto eventos de capoeira, como variados projetos a exemplo do “Mandinga em sala de aula” (que firmava parceria com professores da Educação Básica),  bem como a visão dos participantes do grupo sobre o Brasil a partir desse contato com a capoeira.  
A conversa será conduzida por Fernando Alfredo Malovane e Emilton João Dzonzi, coordenadores do núcleo Nzinga – Maputo e contará com a participação de pessoas dos demais núcleos do grupo. A atividade tem também o apoio e participação dos integrantes do projeto Vadiação – Vivências artísticas e intervenções pedagógicas afro-brasileiras.

A atividade é organizada pelo Grupo AnDanças, coordenado pelas professoras Elizia Cristina Ferreira e Lia Laranjeiras. Não é necessário inscrever-se, informações através do email pausapoetica@gmail.com

O grupo Nzinga de Capoeira Angola forma parte do  Instituto Nzinga de Estudos da Capoeira Angola e Tradições educativas Banto no Brasil. Há treze anos o núcleo de Salvador realiza a campanha “Iemanjá protege quem protege o mar” em torno das comemorações do 02 de fevereiro. Esse evento inclui roda de capoeira angola no dia da festa, entrega de presente para as nkisis e também discussão em torno das questões ambientais, raciais e da cultura afro-brasileira.

O evento acontecerá na quadra do Campus dos Malês, nesta segunda-feira (4), a partir das 14h.

Comentários encerrados.