“Vivência de Meditação & Charla” será promovido pelo grupo de pesquisa “África-Brasil”, dia 27

O Grupo de Pesquisa “África-Brasil: Produção de Conhecimentos, Sociedade Civil, Desenvolvimento e Cidadania Global” e do Mestrado Interdisciplinar em Humanidades (MIH), promovem a atividade “Vivência de Meditação & Charla”, na próxima quarta-feira (27), a partir das 14h30, no Auditório 1, do Campus das Auroras, em Redenção/CE.

O evento apresenta às temáticas: “O sorriso no coração. O Amanhecer da Consciência” e “A Energia e as linhas de força dos orixás e dos caboclos junto à natureza”. A ideia é promover a integração consciente com as forças da mãe natureza, na perspectiva das tradições da ancestralidade andina e das linhas de força da Umbanda sagrada.

Todos poderão participar, sem necessidade de inscrição prévia. Aos participantes será concedido certificação, ao final do evento. Para isso, faz-se necessário assinar uma lista de frequência.

Na ocasião, na forma de uma charla (roda de conversa) e de uma vivência ancestral com tambores, Violeta Molina, da Nación Patchamama, o Pai Ricardo de Iansã e o Pai Leonildo da Casa de Umbanda São Jorge Guerreiro, abordarão as potencialidades de integração consciencial com os elementos e as forças da natureza, mediante atitudes meditativas, na perspectiva de diálogo de integração entre as tradições da ancestralidade andina e afro-brasileira.

Sobre os convidados

Germana de Oliveira Moraes, co-fundadora da Nación Pachamama (no Movimento é conhecida como Mama Violeta Molina), professora do Programa de Pós-graduação em Direito da UFC e juíza federal.

Pai Ricardo de Iansã e Pai Leonildo, da Casa de Umbanda São Jorge Guerreiro, Baturité-CE.

O evento é coordenado pelo professor de Filosofia do Mestrado Interdisciplinar em Humanidades (MIH), vinculado ao Instituto de Humanidades (IH), Francisco Vitor Pereira. Mestre em Filosofia, área de concentração Ética e Filosofia Política e doutor em Filosofia Prática, além de ser membro do Núcleo de Políticas de Gênero e Sexualidade (NPGS/Cnpq/Unilab) e membro do Grupo de Estudos e de Pesquisas Filosofia e Pensamento em África (Cnpq/Unilab).

Comentários encerrados.