Encontro Brasil-África, na Guiné-Bissau, enfoca trânsitos identitários e travessias dos afetos

O “Encontro BRASIL-ÁFRICA: trânsitos identitários e travessias dos afetos” ocorre de 10 a 13 de setembro, na cidade de Bissau, capital da Guiné-Bissau. O objetivo é refletir sobre as pontes, espelhamentos e imaginários construídos entre o Brasil e a África, com foco nos temas da diáspora estudantil e no compartilhamento de experiências e trocas culturais entre pessoas e países. Haverá mostras de filmes, debates e rodas de conversa.

Por meio das trajetórias de estudantes africanos – de Guiné-Bissau, Cabo-Verde, Angola, Moçambique e São Tomé e Príncipe – e do Timor-Leste, bem como das experiências de vida no Brasil e em Portugal – relatadas em três dos documentários que serão exibidos no Encontro -, os participantes do evento adentrarão os temas da diáspora estudantil, a produção de novas identidades, observando tanto a construção das relações etnicorraciais e das diferenças, quanto as relações afetivas construídas nas experiências migratórias.

O Encontro traz ainda, em sua programação, cinco filmes laureados no prestigioso Prêmio Pierre Verger, da Associação Brasileira de Antropologia (ABA). O francês Pierre Verger foi um antropólogo, fotógrafo e estudioso de África que registrou e prestou uma grande contribuição aos estudos sobre as religiões africanas, tanto no Brasil quanto em África.

A partir dos temas propostos pelos oito filmes que serão ao todo exibidos, o Encontro debaterá ainda questões metodológicas próprias à produção de documentários e de filmes etnográficos, refletindo sobre as ricas possibilidades do som e da imagem na produção de conhecimento sobre o mundo, uma vez que tais filmes podem ser vistos como um potente dispositivo de comunicação e diálogo entre pessoas, grupos, populações e sociedades.

O evento será realizado no Centro Cultural Brasil Guiné-Bissau, localizado à Rua São Tomé, S/N, Bissau. A organização está a cargo da Embaixada do Brasil em Guiné-Bissau (Centro Cultural Brasil Guiné-Bissau – CCBGB) e dos professores Daniele Ellery Mourão (IH/Unilab), Márcio Câmara (Audiovisual/Unifor) e Alexandre Fleming (Mestrado em Antropologia/UFC/Unilab).

Confira a programação:

Comentários encerrados.