Roda de Conversa “Mulheres, Pretas, Poetas” tem participação das escritoras Lubi Prates e Nina Rizzi

Nina Rizzi: escritora, tradutora, pesquisadora, editora e professora

Na próxima sexta-feira (20), a Unilab vai receber as premiadas escritoras negras Lubi Prates e Nina Rizzi, durante a realização da Roda de Conversa “Mulheres, Pretas, Poetas: Entrecruzando suas Escrevências”.

A atividade vai ocorrer das 14h às 16h, na Sala 201, Bloco C, do Campus das Auroras, em Redenção/CE. Não é necessário realizar prévia inscrição. Haverá emissão de certificado de 4 horas/aula aos que assinarem a lista de presença.

A Roda de Conversa será mediada pela professora Maria Cecília Calaça, do Grupo Meio Fio de Arte e Ação do Instituto Federal do Ceará (IFCE / Campus Fortaleza), e Presidenta da Academia Afrocearense de Letras (AFROCEL).

Um dos objetivos do evento é promover na Unilab a ocupação do espaço acadêmico por escritoras negras. “Essas mulheres vivenciam as escritoras nascidas de seu cotidiano, nas lembranças de experiências de suas próprias vidas, de seus próprios corpos (escrevivências), compondo poemas que esteticamente traduzem o ativismo estético e político de suas lutas contra as opressões de raça e de gênero”, explica a equipe organizadora.

A atividade é promovida pela disciplina de Educação e Interculturalidade do Mestrado Interdisciplinar em Humanidades da Unilab. Apoiam o evento o Mestrado Interdisciplinar em Humanidades, o Grupo Meio Fio de Arte e Ação – IFCE Fortaleza, a Academia Afrocearense de Letras (AFROCEL) e o Curso de Letras da Faculdade de Filosofia Dom Aureliano Matos (FAFIDAM), Campus da UECE em Limoeiro do Norte.

Poeta, editora e tradutora: Lubi Prates.

Poeta, editora e tradutora: Lubi Prates.

Sobre Lubi Prates

Poeta, editora e tradutora, Lubi tem quatro livros publicados (Coração na Boca, 2012; Triz, 2016; Um Corpo Negro, 2018; Sin país, 2018 – Uruguai); sendo o terceiro, contemplado pelo Programa de Ação Cultural do Governo de São Paulo (PROAC), com bolsa de criação e publicação de poesia.

Ela tem diversas publicações em antologias nacionais e internacionais. Além disso, Lubi organizou os Festivais Literários para a Visibilidade de Poetas Pretxs, [eu sou poeta] (São Paulo, 2016) e Otro modo de ser (Barcelona, 2018), tendo também participado de diversos festivais literários no Brasil e em outros países da América Latina. É sócia-fundadora e editora da nosotros editorial, e é editora da revista literária Parênteses. Dedica-se diuturnamente a ações que combatem a invisibilidade de mulheres e de pessoas negras.

Sobre Nina Rizzi

Nina Rizzi é escritora, tradutora, pesquisadora, editora e professora. Promove laboratórios de escrita criativa com mulheres e é uma das articuladoras do Sarau da B1, no Conjunto São Cristóvão, Jangurussu, periferia de Fortaleza.

Nina desenvolve pesquisas em história, cultura e educação junto ao MST. Tem poemas traduzidos para o espanhol, esloveno, inglês e participa em diversas antologias no Brasil, Moçambique, Angola, EUA, Suécia, Portugal e Espanha. É autora de Tambores pra n’zinga (2012), A Duração do Deserto (2014), A Geografia dos ossos (2016), Quando vieres ver um banzo cor de fogo (2017) e Sereia no copo d’água (2019).

Comentários encerrados.