Unilab promove ação cívica alusiva às Independências dos países parceiros da CPLP

Dia 24 de setembro é a data da Independência da República da Guiné-Bissau, país da África Ocidental que comemora o seu 46º aniversário – repleto de muitas lutas e conquistas. A Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), representada pelo reitor pro tempore, professor Alexandre Cunha, e pela vice-reitora pro tempore, professora Andrea Linard, e com a presença dos estudantes guineenses e representantes da Associação dos Estudantes Guineenses da Unilab (AEGU), Técnicos Administrativos em Educação (TAEs) da Unilab e comunidade acadêmica, promoveu ato cívico de hasteamento da bandeira oficial do país, com suas três cores e estrela, representando o lema: “Unidade, Luta, Progresso”. Houve a execução do Hino Nacional: “Esta é a Nossa Pátria Bem Amada” pelos próprios estudantes, em frente ao Campus da Liberdade, em Redenção/CE.

Estudantes guineenses no ato civil em comemoração a Independência da República de Guiné-Bissau.

O evento foi uma iniciativa da Reitoria da Unilab, com a secretaria da Pró-reitoria de Administração (Proad/Unilab), a Assessoria de Comunicação (Assecom/Unilab) e em parceria com os representantes das associações dos países parceiros da Unilab que fazem parte da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). De acordo com o projeto, as bandeiras de cada um dos países serão hasteadas durante a semana alusiva às comemorações de suas independências. Nos demais períodos, permanecerão hasteadas as bandeiras da República Federativa do Brasil, ladeada pela CPLP e do Governo do Estado do Ceará.

“Que a nossa parceria seja duradoura. Juntos fazemos a Unilab!”, declarou Alexandre Cunha, professor e reitor pro tempore da Unilab.

Iniciativa da Unilab de hasteamento das Bandeiras e exibição do Hino Nacional dos países parceiros que compõem a CPLP

Para Tedse Silva Soares da Gama, responsável pela Comunicação e Relações Exteriores da Associação dos Estudantes Guineenses da Unilab (AEGU), este ano pioneiro têm uma significação enorme: “Nos sentimos honrados, pois hastear a nossa Bandeira e cantar nosso hino é um marco muito importante, principalmente por coincidir com a data de nossa independência. Nos dá uma alegria imensa, que não conseguimos expressar nossos sentimentos. Por ser tão importante, as pessoas se mobilizaram rapidamente. Espero que o mesmo continue com os demais países que fazem parte da Unilab e que possam sentir esta emoção e honra”, manifestou com alegria o estudante guineense do curso de Licenciatura em História, vinculado ao Instituto de Humanidades da Unilab.

“Juntos fazemos a Unilab!”, declarou Alexandre Cunha

Sobre a AEGU

Fundada em 8 de fevereiro de 2014, a Associação dos Estudantes Guineenses da Unilab no Maciço de Baturité (AEGU) é uma associação sem fins lucrativos que reúne seus membros nas dependências do campus da Liberdade, em Redenção/CE.

A associação visa a representar e defender os interesses dos estudantes no âmbito acadêmico, cultural, desportivo, etc. Ao longo dos cinco anos de atividades, a AEGU tem promovido palestras, debates e atividades comemorativas.

Na Bahia, as atividades em comemoração à Independência de Guiné-Bissau contou com apresentação de trabalhos, palestras e manifestações culturais.

No Campus dos Malês, em São Francisco do Conde/BA, a comunidade acadêmica também promoveu ações em homenagem a Independência de Guiné-Bissau, aos 46 anos de sua independência, com atividades desenvolvidas nos dias 23 e 24, desde apresentação dos trabalhos acadêmicos, foram apresentados sete trabalhos com diferentes temas, todas eles abordando diferentes assuntos sobre o país, além da exibição do filme “Morto Nega”, de Flora Gomes e debate com a convidada, Drª Jusciele Oliveira, pesquisadora da Universidade Federal de Bahia (UFB) e especialista em cinema e estudiosa das obras do cineasta guineense.

No dia da comemoração oficial, dia 24 de setembro, a palestra sobre: “Democracia, representação e desenvolvimento na Guiné-Bissau”, com o professor Paulo Gomes Vaz, vinculado ao Instituto de Humanidades e Letras (IH/Unilab/Malês/BA), iniciou as atividades e o encerramento ocorreu no Mercado Cultural embalado com alegria e entusiasmo das músicas, poesias e danças tradicionais da Guiné-Bissau.

Matéria relacionada: Estudantes celebram 46 anos da independência de Guiné-Bissau

Comentários encerrados.