Grupo InterZoa da Unilab participou da 1ª Semana de Proteção Animal, promovida pelo Governo do Ceará

Grupo de Pesquisa em Interações Animais (InterZoa/Unilab)

Objetivando conscientizar a sociedade sobre a importância de proteger os animais domésticos e principalmente, os silvestres, o Grupo de Pesquisas sobre Interação Animais (InterZoa), vinculado ao Instituto de Ciências Exatas e da Natureza (Icen/Unilab), participou da primeira edição da Semana Estadual de Proteção Animal, no período de 29 de setembro a 6 de outubro, promovida pelo Governo do Ceará, por meio da Secretaria do Meio Ambiente (Sema).

Diferentes ações de educação e conscientização foram realizadas, em diversos municípios do estado do Ceará, com a participação das comunidades locais, escolas, professores e estudantes. No Maciço de Baturité, as atividades da Semana de Proteção animal ocorreram na sede da APA de Baturité/CE.

Entre as atividades de importância, a divulgação científica por meio de exposição de animais marinhos e terrestres, trilhas ecológicas e visitas em escolas públicas e privadas do Maciço, falando sobre a importância dos animais para a manutenção da vida nos diferentes ecossistemas foi bem participativa, com a interação dos alunos e professores das escolas locais.

Conforme informações do InterZoa/Unilab, aproximadamente 450 pessoas participaram das atividades, entre comunidade e alunos de escolas do Maciço do Baturité, que tiveram a oportunidade de conhecer mais sobre a biodiversidade de animais que vivem nas florestas da região, quais espécies estão ameaçadas e as iniciativas tomadas para a conservação da fauna local.

Foto: Grupo InterZoa | Alunos de escolas do Maciço de Baturité nas trilhas ecológicas

Para o coordenador do grupo InterZoa, biólogo e doutor em Ecologia e Conservação dos Recursos Naturais, Roberth Fagundes, esta oportunidade  é “uma importante parceria entre Unilab e governo estadual, na proteção da fauna do Maciço de Baturité/CE”, declarou o professor do Icen/Unilab.

O evento também contou com a participação de profissionais da Associação de Pesquisa e Preservação de Ecossistemas Aquáticos (Aquasis) – ONG, fundada há 25 anos, na luta em defensa do meio ambiente – que apresentaram ações de proteção ao periquito-cara-suja (Pyrrhura griseipectus) é uma ave exclusivamente da região nordestina, encontrada anteriormente em muitos estados da região. Contudo, devido à destruição de seu habitat (as florestas serranas) e à captura ilegal de animais silvestres, existe em apenas três pontos do Estado do Ceará.

Foto: Grupo InterZoa | Experiências e aprendizado de alunos sobre animais silvestres

Outra atividade marcante foi a presença da bióloga Camila Porto, do criadouro de animais silvestres “Sítio Tibagi” – localizado no município de Guaramiranga/CE com cerca de 150 espécies e 460 animais silvestres.

Comentários encerrados.