Curso de Português PEC-G do Campus dos Malês encerra Parte I com Simulado CELPE-Bras

Imagem: Cédric Tanguy Sèmèvo

Na última quinta-feira (3), ocorreu o Simulado do CELPE-Bras, Certificado de Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros, do Curso de Português PEC-G (Pré-PEC-G), do Campus dos Malês.

O curso, que teve início em 4 de fevereiro, está dividido em duas etapas: Parte I (de fevereiro a outubro de 2019) e Parte II (novembro de 2019 a fevereiro de 2020).

Estudantes Pré-PEC-G no simulado | Foto: Prof. Denilson Santos

Na primeira parte, os estudantes do Pré-PEC-G – oriundos dos países africanos Gabão, Guiné-Equatorial, República Democrática do Congo e Benim – tiveram aulas de Português Básico, Intermediário e Pré-CELPE.

Já na segunda parte, o curso será denominado Pós-CELP, com oficinas e seminários de língua e culturas brasileiras. Nessa etapa, a inscrição é opcional. A ideia é que os estudantes possam imergir ainda mais na diversidade brasileira e vivenciem o ambiente de integração da Unilab.

A coordenação do curso está a cargo do Prof. Denilson Lima Santos. “O convênio da Unilab com o Ministério de Relações Internacionais (MRE) para a implantação do curso Pré-PEC-G é relevante e acertado, uma vez que nossa universidade está no contexto da integração e internacionalização”, garante o docente. Além disso, as aulas de português “são importantes para os estudantes não-lusófonos e para a comunidade acadêmica unilabiana. É um processo mútuo de ensino-aprendizagem”, completa.

Estudantes Pré-PEC-G, monitores e coordenador | Foto: Prof. Denilson Santos

Para a estudante de Guiné-Equatorial, Marcelina Mayé, estudar o idioma na Unilab “foi gratificante porque, além de estudar português, pude vivenciar a cultura e a diversidade do Brasil”. Da mesma forma, o estudante do Gabão, Fall Eméric, afirmou que estudar na Unilab é enriquecedor. “Aqui encontrei muita gente para me ajudar a aprender português. Aqui tive dificuldade nos verbos ser e estar e as pessoas me ajudaram, dando dicas sobre o assunto”, declarou o aluno.

A monitora Eliana Muniz Vale ressaltou a oportunidade de formação para os graduandos. “A experiência foi tão boa que penso em fazer Mestrado na área de Português para Estrangeiro. Aprendi mais do que ensinei. É gratificante conviver com a diversidade cultural e humana dos estudantes”, confessou.

O curso tem apoio da Pró-Reitoria de Graduação (Prograd), da Pró-Reitoria de Extensão, Arte e Cultura (Proex) e, sobretudo, da direção do Campus do Malês que, juntamente com a Propae-Malês e a Proinst-Malês, colaboram na logística, acolhimento e demais orientações para a implantação do Pré-PEC-G no Campus. Além disso, o envolvimento de monitores voluntários e estagiários da Graduação em Letras – Língua Portuguesa, ademais do apoio do Colegiado de Letras-Malês, foi fundamental para o êxito da primeira edição do projeto, segundo o coordenador.

Comentários encerrados.