IV Ciranda da Criança Paulo Freire e II Aniversário da Casa Encantada reúnem crianças com brincadeiras, vivências artísticas e plantação de mudas

Ao centro, Cláudia Viúva Negra e Fábio Pererê, que compõem o projeto Planeta Contos. Foto: Assecom/Unilab.

A IV edição da Ciranda da Criança Paulo Freire: “Crianças Aprendem Brincando” e comemorações do II Aniversário da Casa Encantada começaram na última sexta-feira (11) e se estendem por uma semana, no Maciço de Baturité/CE. A abertura ocorreu na Casa Encantada, projeto da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), que fica ao lado do Campus da Liberdade, em Redenção/CE. Confira a programação completa.

As crianças entre 4 e 10 anos, acompanhadas também das professoras da Escola Municipal Francisca Arruda de Pontes, puderam participar de atividades envolvendo fantoches, música, balão, pinturas e plantação de mudas em frente à Casa Encantada. “Aqui a gente aprende brincando”, disse a turminha animada na abertura do evento, ao serem perguntados pela professora Jeannette Ramos, coordenadora do projeto Casa Encantada, sobre qual é a melhor forma de aprender.

Funcionário terceirizado da Unilab Hilton Pontes explicou quais espécies estavam sendo plantadas. Foto: Assecom/Unilab.

A plantação de mudas em frente à Casa Encantada contou com o funcionário terceirizado da Unilab Hilton Pontes, que explicou quais espécies estavam sendo plantadas: pau-branco, ipê-amarelo, ipê-branco, paineira/barriguda e jacarandá. Jeannette Ramos comentou a importância dessa atividade. “Quando vocês passarem por aqui vão lembrar que a gente plantou essas plantas”, disse, chamando a atenção para o cuidado que isso geraria nas crianças com relação ao meio ambiente. Logo ao lado, no Terreiro Encantado, as crianças fizeram pinturas e estiveram mais à vontade para ter contato com a natureza.

O evento contou ainda com o projeto Planeta Contos, do Espírito Santo, composto por Cláudia Viúva Negra e Fábio Pererê. A dupla trabalha com cultura afro-capixaba. Cláudia conta que vieram para o IV Festival das Culturas da Unilab, onde receberam o convite para retornar e participar da Ciranda da Criança Paulo Freire. Os arte-educadores realizam o “Piquenique Literário”, momento em que incentivam a literatura infantil em locais públicos e criam biblioteca móvel, acondicionando os livros em antigas geladeiras, em pontos públicos, com o único pedido de que o livro vá, mas retorne. Além do Espirito Santo, já passaram pelos estados de Santa Catarina, São Paulo, Minas Gerais e, agora, Ceará.

Pintura no Terreiro Encantado. Foto: Assecom/Unilab.

Mestranda do Mestrado Interdisciplinar em Humanidades (MIH), Juliana de Sousa participa das atividades da Casa Encantada e afirma que a experiência contribui para a sua pesquisa sobre alfabetização precoce, tendo como objeto o corpo na educação infantil.

O evento está sendo organizado pelo projeto de extensão “Afrodita: a arte, o brincar, o cantar e o dançar nas educações interculturais (Afrodita: abcd’s nas educações interculturais), em parceria com o Grupo de Pesquisa Educação, Cultura e Subjetividade (Educas/Unilab), o Centro de Atendimento Integral à Infância (Ciadi) e o Projeto Casa Encantada (Unilab/Prefeitura de Redenção/CE).

Foto: Assecom/Unilab.

Formação de Arte-Educadores Interculturais

Durante as atividades da Ciranda da Criança Paulo Freire ocorre também a décima Formação de Arte-Educadores Interculturais, que contará com a presença dos arte-educadores Cláudia Viúva Negra e Fábio Pererê, do Grupo de contação de Histórias Planeta Contos, do Espírito Santo; Juliana Cysne, psicóloga e mestre em educação da Universidade Federal do Ceará (UFC); e Genivaldo Macário, da Secretaria de Educação do Estado do Ceará (Seduc). Outras informações com a comissão organizadora: Jeannette Ramos: ramosjeannette@unilab.edu.br, e Tiago Morais:  tiagomorais@aluno.unilab.edu.br.

Comentários encerrados.