Diversidade dá o tom da programação artístico-cultural da Semana Universitária 2019

A Semana Universitária da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), nesta edição de 2019, tem como tema “Ciência e diversidade de gênero: produção de saberes para a afirmação dos direitos humanos” e ocorre de 23 a 25 de outubro.

A programação artístico-cultural, organizada pela Coordenação de Arte e Cultura da Pró-Reitoria de Extensão, Arte e Cultura (Proex), será realizada pela manhã e à tarde, no bloco II da Unidade Acadêmica dos Palmares, em Acarape/CE. As inscrições ocorrem via formulário.

As atrações incluem oficina de dança, sarau, performance, exposição de fotografia e teatro de rua.

Confira a programação:

22/10 a 25/10

08h às 12h – Animação DJ

Oficina Dança Em Corpomancia & Atuação Para O Cinema – Reiges Jairo (UECE – Fortaleza/CE)

22/10

9h – Abertura Semuni – Grupo Voising (Guaiuba/CE)

O grupo Voising surgiu em meados de Fevereiro de 2017 como côro do Musical da Paixão de Cristo da Cia de Teatro Aos Trancos e Barrancos. O nome surgiu já em 2018 e vem da junção das palavras em inglês; voice/voz e sing/cantar. O grupo mescla diferentes estilos de música brasileira, trazendo uma sonoridade diferente a cada interpretação, com arranjos vocais de coral e backing vocal.

12h30 às 13h30 – Sarau Delas – discentes da Universidade (Redenção e Acarape/CE)

Sarau feminino com discentes de diversos cursos da Unilab. Microfone aberto para que elas soltem suas ideias em forma de performance, prosa e poesia.

14h às 16h – Exposição de fotografias e exibição do Curta “Corpo em terra” do Projeto Nuvem, seguido de debate com o diretor/idealizador/fotógrafo Reiges Jairo (Fortaleza/CE).

Projeto naturista artístico com trabalhos em artes visuais (fotografia) e audiovisual, onde os participantes fomentam a ideia do despir-se não só de roupas mas de preconceitos com o corpo. Exibição do Curta “Corpo em terra”, seguida de debate com o diretor Reiges Jairo. Sinopse: Parece que o sol se aproxima para colidir com a Terra e a humanidade se despiu para aguentar o calor, mas acabou surtando. Todos começaram a se ver nos outros, como uma projeção de culpa, pelo extermínio do planeta. Portanto, eliminar o outro, significa se ausentar de qualquer culpa e também, se voluntariar como oferenda ao sol, para que ele tenha misericórdia de suas vidas.

23/10

12h30 às 13h30 – Performance corpoética: “Gaia Negra” – Trupe Esculacho (Palmácia/CE)

A Trupe Esculacho atua no Maciço de Baturité e agora está com nova formação. A performance “Gaia Negra” toma como disparador a celebração da vida em (re)conexão com natureza, cuja força se faz através de uma poética de movimentos, em que corpo, texto e musicalidade se cruzam na busca de contemplar a pluralidade da existência. Nesse percurso, o fio condutor de “Gaia Negra”, a Mãe Terra (que representa as feminilidades, as mulheres, as negritudes, o corpo, a arte), é o retrato de sua constante luta contra o seu filho desgarrado, o Homem (que representa a escravidão, o progresso, a misoginia, o machismo, o patriarcado, as faces do capitalismo e o ante-prazer).

24/10

12h30 às 13h30 – Mini Becha Ball Cearense (Fortaleza/CE)

O coletivo surgiu no Cuca Barra do Ceará ano passado, quando apareceu o edital Ação Jovem, que favorecia e investia em novos projetos de jovens da Rede Cuca. A coletiva pegou a cultura cearense machista e misógina e imergiu num evento LGBT. Colocou o preconceito de cabeça pra baixo. As chamadas balls são, em termos básicos, bailes competitivos frequentados majoritariamente por negras, negros, latinas e latinos que disputam em diferentes categorias de moda e dança, por exemplo, celebrando identidades e diversidades a partir da arte.

14h às 16h – Mostra de Curta Metragens Ciência e Diversidade de Gênero.

 

25/10

12h30 às 13h30 – Teatro de Rua – INVISÍVELDENÓS – Grupo PesquisAtores (Uece – Fortaleza/CE). Sinopse: Soltos como peças de quebra-cabeça e, ao mesmo tempo, presos em um ambiente claustrofóbico em movimento, o passado vem a ser prioridade de todos e a única visita capaz de conceder esmolas de memória, parece se alimentar das circunstâncias, em serviço de um possível superior. São quatro formas de vida que se perdem no tempo toda vez que tentam uma aproximação, diante de uma quinta presença. Grupo: PesquisAtores / Direção: Reiges Jairo / Elenco: Mirella Mirla, Lucas Emmanuel, Reiges Jairo, Herlano Brasileiro e Lucas Menezes.

14h às 16h – Mostra de Curta Metragens Ciência e Diversidade de Gênero.

Comentários encerrados.